Porque o Consolador veio?

15 de outubro de 2013

Porque o Consolador veio?

                      
      “Todavia, digo-vos a verdade: que vos convém que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, se eu for, vo-lo enviar-vo-lo-ei”; (Jo 16.7).   
    
     Os discípulos tinham visto nuvens de dificuldades, mas eles se sentiam seguros com a presença de Jesus. Ele tinha acalmado cada uma das tempestades, Jesus alimentou a multidão quando eles eram impotentes e expulsou o demônio que eles não puderam expulsar. Jesus tinha sido o mestre e o guia infalível. Eles se sentiam, agora, como órfãos. Mas Jesus lhes deu a promessa de enviar um outro Consolador. Jesus explica aos discípulos que Ele tinha que ir para liberar o Consolador. Eles não tinham a mínima idéia do que Jesus falava. “Mas, quando vier aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade,  porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar”; (Jo 16.13,14). Consolador é alguém chamado para ficar ao lado de outro. O termo “allos” (gr) significa; Outro da mesma espécie, continuar o mesmo trabalho de: Jesus teve que rogar, implorar, insistir ao Pai. “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre”; (Jo 14.16). 
     
    Porque Deus havia decidido retirar o Seu Espírito Santo da terra e não mais o daria ao homem.  “Então disse o Senhor: não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem”; (Gn 6.3a). Mas Jesus rogando ao Pai, disse: “Pai, não é para o mundo é para os meus”. “O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós”; (Jo 14.17). Jesus é o nosso advogado na presença do Pai“Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles”; (Hb 7.25). “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo”; (1 Jo 2.1). O Espírito Santo é o nosso Consolador e intercessor, habitando em nós na terra. Consolo é uma experiência agradável, porém implica a presença de dificuldades. Este mundo é um lugar de tribulação, perseguição, e de lágrimas para os cristãos. Jesus assegurou aos discípulos que as dificuldades e tribulações seriam grandes e freqüentes em suas vidas. “Tenho vos dito estas coisas para que vos não escandalizeis. Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim. Mas tenho-vos dito isto, a fim de que, quando chegar aquela hora, vos lembreis de que já vo-lo tinha dito. E eu não vos disse isto desde o princípio, porque estava convosco”; (Jo 16.1-4).  O cristão, portanto, não deve esperar o fim das dificuldades, mas pedir a ajuda do Espírito Santo em suas aflições. 

Os discípulos só receberam o Espírito Santo após Jesus ter sido glorificado. 

     “Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo”; (Jo 20.21,22). O Espírito Santo é maior do que o mundo. “... porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo”; (1 Jo 4.4). Somente com a presença do Espírito Santo, a Igreja terá perseverança no meio das provações e receber o prêmio que Jesus já recebeu. Existe um gozo! “Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus”; (Hb 12.1,2). O anticristo ainda não se manifestou por causa da presença do Espírito Santo na terra, quando Deus arrebatá-lo, tirá-lo da terra a Igreja irá subir junto com Ele. “Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o  qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco? E, agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado”; (2 Ts 2.1-7).  

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.