Haverá um novo céu e uma nova terra?

15 de junho de 2014

Haverá um novo céu e uma nova terra?


      “E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram e o mar já não existe”; (Ap 21.1). “Porque eis que eu crio céus novos e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão”; (Is 65.17).

     Haverá um novo céu e uma nova terra? E se houver? Como será esse novo céu e essa nova terra? Será uma nova criação que surgirá totalmente diferente do que já existe atualmente? Ou será, uma renovação do que já existe? Alguns favorecem, e muitos defendem a idéia que Deus irá “criar” um novo céu e uma nova terra. Eles acreditão que tudo o que existe será de certa forma destruído, aniquilado! “Porque haverá, então, grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco haverá jamais”; (Mt 24.21). “E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas”; (Mt 24.29). “Aguardando e apressando-vos para a vinda do Dia de Deus, em que os céus, em fogo, se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardando novos céus e nova terra, em que habita a justiça”; (2 Pe 3.12,13). Esta bem claro, que eventos catastróficos afetarão a terra atual. Mas não podemos aceitar a idéia de uma destruição total. Eu creio na renovação do que já existe firmado em algumas razões. Em todas as passagens bíblicas no Novo Testamento, o termo grego utilizado para designar a novidade do “novo”, não é “neos”. 

     Mas, sim “kainos”. NEOS – Significa novo em tempo ou origem; ou seja, totalmente novo. KAINOS – Significa novo em natureza, em qualidade; ou seja, reformado, reaproveitavél. “Ouranon kainon kai gen kainen, (um novo céu e uma nova terra)”; (Ap 21.1). Portanto, esta bem claro que não haverá a criação de um novo céu e uma nova terra. Mas, sim uma gloriosa renovação do que já existe atualmente. A criação que existe atualmente será libertada da corrupção, não surgirá uma criação nova. “Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”; (Rm 8.20-22). E relativo aos corpos glorificados que nós os cristãos teremos? Será um novo corpo? A Bíblia Sagrada, afirmar constantemente e nos garante, que haverá continuidade desse corpo que temos agora. Porém esse corpo será glorificado, receberá uma glória. E haverá descontinuidade desse mesmo corpo de uma forma carnal. As diferenças entre nossos corpos atuais e os nossos corpos glorificados, que teremos, por mais maravilhosas e gloriosas que serão, não retirarão a continuidade de sermos nós mesmos. Somos nós quem seremos glorificados, e seremos nós, quem estaremos para sempre com o Senhor. Não seremos novas pessoas, seremos nos mesmos, homens e mulheres de Deus, que vivemos e estivemos nesta terra. Se Deus tivesse de destruir os céus e a terra que existêm, e nós fossemos outras pessoas, Satanás teria conquistado uma grande e importante vitória. Ele teria obtido sucesso. Em corromper tão devastadoramente os céus e a terra atual, que Deus não poderia fazer, realizar mais nada, a não ser destruir mesmo. Mas, Satanás não conquistou e não conquistará essa vitória. Pelo contrário, ele tem sido derrotado. Deus mostrará para ele essa derrota, ao renovar exatamente essa mesma terra, na qual ele enganou a humanidade. Tirando dele todo o poder que ele tem “no momento” sobre esta terra. Quando nós entendemos as Escrituras Sagradas, a Escatologia se encaixar num padrão significativo. Concatenado! Nós somos novas criaturas, nascemos de novo, nascemos do Espírito, mas continuaremos sendo nós mesmos. Ou seja, você será você, e eu serei eu. Mas em um corpo glorificado! Tenha contigo esta certeza, tudo será restaurado.

      “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham, assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor. E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio”; (At 3.19-21). A expressão “a restauração de todas as coisas”, (apokatastaseos panton); (gr). Esse termo da o sentido de que a parousia de Cristo, Sua 2ª vinda. “E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão ele mesmo. E estava vestido de uma veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus. E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro. E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso. E na veste e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos Reis, e Senhor dos Senhores”; (Ap 19.11-16). Será seguida pela restauração de toda a criação de Deus a sua perfeição original, dessa forma apontando para o novo céu e a nova terra. O homem aguarda por esse novo céu e essa nova terra, e toda a criação também aguarda por ela. Quando todas as criaturas criadas por Deus, receberem a sua glorificação na redenção. Toda a criação será libertada da maldição sob a qual ela esteve sujeita. “E não só ela, (a criação) mas nós mesmos (os nascidos do Espírito), que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”; (Rm 8.23).

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.