Quais são os atributos de Deus?

15 de novembro de 2015

Quais são os atributos de Deus?

   “Sou eu apenas Deus de perto, diz o Senhor, e não também Deus de longe? Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja?”; (Jr 23.23,24a). 

   Nós podemos distinguir em Deus (Divindade), três categorias de atributos: ENTITATIVOS – Que revelam a Deus como um Ser absoluto em Seus atos. OPERATIVOS – Que revelam a Deus como um Ser espiritual em Seus atos. MORAIS – Que manifestam a Deus como um Ser moral em Seus atos. Os atributos relacionados abaixo estão contidos nessas três categorias.  ONIPRESENÇA – “E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes, todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar”; (Hb 4.13). A Onipresença de Deus, na realidade, é uma parte da Sua natureza infinita, o espaço não constitui obstáculo para Ele. Deus está, sem limitações e na perfeição. Presente de modo discernível, Deus está presente em todos os lugares, Ele rege o tempo de Sua Eternidade. ONISCIÊNCIA – “Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta, que não posso atingir”; (Sl 139.6). A Onisciência de Deus é sabedoria, inteligência e conhecimento direto de tudo. Atual, possível e impossível. No presente, no passado e no futuro. O nosso tempo humano “chronos” esta contido na Eternidade de Deus “kairos”. O incrível é que a Onisciência de Deus não impede ou interfere no livre arbítrio de Suas criaturas (Homens & Anjos).ONIPOTÊNCIA – “Ah! Senhor Jeová! Eis que tu fizeste os céus e a terra com o teu grande poder  e com o teu braço estendido”; (Jr 32.17). “Pela palavra do Senhor foram feitos os céus; e todo o exército deles, pelo espírito da sua boca. Ele ajunta as águas do mar como num montão; põe os abismos em tesouros. Tema toda a terra ao Senhor; temam-nos todos os moradores do mundo. Porque falou,  e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu”; (Sl 33.6-9).  

   Deus é o criador e o provedor do mundo. Ele é o “EU SOU O QUE SOU”; O YHWH; o Todo Poderoso. Deus suporta o mal e os maus no mundo, não é porque Ele não pode destruí-los. Mas é porque Ele concedeu ao homem o livre arbítrio, e os orienta, a fim de que o homem pela sua vontade própria rejeite o mal e seja mobilizado para o bem. É necessário entender, que a Onipotência de Deus estende-se a tudo que é do anseio dos Seus pensamentos, de Sua bondade e de Sua vontade.  IMANÊNCIA E TRANSCENDÊNCIA – “Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra, o escabelo dos meus pés. Que casa me edificaríeis vós? E que lugar seria o do meu descanso? Porque a minha mão fez todas as coisas, e todas estas coisas foram feitas, diz o Senhor; mas eis para quem olharei: para o pobre e abatido de espírito e que treme diante da minha palavra”; (Is 66.1,2). Deus é imanente e transcendente ao mundo. Isto significa que Deus está unido ao mundo que criou, mas dele se distingui como realidade independente. Sendo a causa primária de tudo o que existe, Deus é imanente pela Sua presença contínua e atuante. Pois os seres existem e subsistem pela influência constante do Seu poder criador e providencial. A Imanência de Deus, não exclui a Sua Transcendência, isto é, a absoluta independência de Deus do universo e o Seu absoluto domínio sobre todas as coisas. IMUTÁVEL“Desde a antigüidade fundaste a terra; e os céus são obras das tuas mãos. Eles perecerão, mas tu permanecerás; todos eles, como uma veste, envelhecerão; como roupa os mudarás, e ficarão mudados. Mas tu és o mesmo, e os teus anos nunca terão fim”; (Sl 102.25-27). “Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos”; (Ml 3.6). Deus é perfeição, e como cada mudança é um sinal de imperfeição, ela não pode ser admitida no Ser perfeito. O que não se pode dizer sobre Deus, é que Nele ocorra qualquer tipo de processo de crescimento, mudança de aparência, evolução, progresso ou qualquer coisa desse tipo. Deus é o mesmo e será sempre o mesmo. “EU SOU O QUE SOU”; “O que é, o que era, e o que há de vir”. A imutabilidade é inerente da natureza de Deus! ETERNO – “Senhor, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração. Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és Deus”; (Sl 90.1,2). “Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, eu sou”; (Jo 8.58). A existência de Deus é atemporal (independe do tempo), Ele vive na Sua Eternidade “Kairós”. Uma vez que o tempo “Chronos” é simplesmente uma forma de existência finita e mutável. O tempo do homem está contido no “É” dentro da Eternidade de Deus, ou seja, para Deus não existe passado, nem futuro, nem presente. Diante do prisma de Deus tudo é eterno! 

     BOM – “O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras”; (Sl 145.9). Deus é bom em Seu Si mesmo! Nada lhe pode ser acrescentado ou melhorado, pois Ele não é incompleto ou defeituoso. Sua bondade se manifesta para todas as Suas criaturas, pois é a perfeição que o leva a Ser benévolo com todas elas. Este atributo de Deus implica que Ele é o parâmetro definitivo do que é bom. E tudo o que Ele é, e o que Ele faz é digno de aprovação. SANTO – “Porque eu sou o Senhor, vosso Deus; portanto, vós vos santificareis e sereis santos, porque eu sou santo”; (Lv 11.44a). “Justo é o Senhor em todos os seus caminhos e santo em todas as suas obras”; (Sl 145.17).  A santidade de Deus traça o padrão que o Seu povo deve imitar. Indica que Ele é absolutamente puro e perfeito, sem qualquer pecado ou maldade. O Seu próprio Ser é o resplendor e a pureza, da verdade, da justiça, da retidão, da bondade e de toda a perfeição moral. AMOR – “Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é caridade. Nisto se manifestou a caridade de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos”; (1 Jo 4.8,9). “Mas Deus prova o seu amor para conosco em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores”; (Rm 5.8). O amor é a própria Pessoa de Deus. Em relação a Deus o Seu amor é o ágape. É o amor pelos indignos, por alguém que perdeu todo o direito à devoção do amado. O amor de Deus é principalmente expresso na redenção dos pecadores, e em tudo que está ligado a isto.  

     FIEL – “Saberás, pois, que o Senhor, teu Deus, é Deus, o Deus Fiel, que guarda o concerto e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos”; (Dt 7.9). “Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade”; (Lm 3.23). O que podemos saber de Deus é o que está em Sua Palavra. É o que Dele concluímos pelas Suas obras! E aquilo que sentimos em nosso espírito, e que também esta em nosso coração. Constatamos através de Sua Palavra o que Ele fez e revelou para o nosso conhecimento, para que possamos relacionarmos com Ele. Todos os atributos de Deus são perfeitos, portanto jamais sujeitos à mutação. Sendo Deus Imutável em Seus atributos, Ele o é também em Sua fidelidade. Deus é fiel em Seu Si mesmo. JUSTO – “Por isso, o Senhor vigiou sobre o mal e o trouxe sobre nós; porque justo é o Senhor, nosso Deus, em todas as suas obras, que fez, pois não obedecemos à sua voz”; (Dn 9.14). “Se confessarmos os nossos pecados ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”; (1 Jo 1.9). Nós já sabemos que Deus é amor, mas dentro do Seu amor, também esta a Sua justiça. Mas a Sua justiça não se opõe ao Seu amor. Ou seja, ao mesmo tempo que com a Sua justiça, Deus julgou ao mundo. E ao homem que se afastou Dele, por causa da entrada pecado. Ele enviou o Seu Filho com o propósito unico de nós reconciliar com Ele. O entregou como sacrifício pelo pecado em lugar do homem, para satisfazer a Sua justiça. Sendo em grau infinito, inteligente, sábio e bom. Deus é justo. Possuindo santidade absoluta que é a ordem do Seu amor. Deus age com justiça infinitamente perfeita. Por causa disto, Deus pune o mal e recompensa o bem.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.