Onde está a vossa fé?

15 de abril de 2014

Onde está a vossa fé?

        

     “E aconteceu que, num daqueles dias, entrou num barco com seus discípulos, e disse-lhes: Passemos para a outra banda do lago. E partiram. E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e o barco enchiam-se de água, estando eles em perigo. E, chegando-se a ele, o despertaram, dizendo: Mestre, Mestre, estamos perecendo (assustados). E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança. E disse-lhes: Onde está a vossa fé? E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?”; (Lc 8.22-25).

     TEMPESTADE FAZ PARTE DE NOSSA VIDA - Tempestade não é uma chuva comum. Tempestade tem classificação de intensidade, de categorias. Tempestade incomoda a tudo e a todos, traz insegurança, mesmo se você estiver preparado. Tempestade coloca em risco a segurança pessoal, coloca em risco até uma cidade inteira. Tempestade, todos nós já enfrentamos (ou estamos passando por uma neste momento). Tempestade não é aquela chuva que vem para molhar a terra. Não é aquela chuva que cantamos: “Faz chover Senhor Jesus, derrama a chuva neste lugar”. Tempestade causa estragos, perdas, danos. Quantas vezes nos tentamos nos livrar de uma tempestade das melhores situações e maneiras possíveis que pudéssemos imaginar e nos não conseguimos. 

     “E aconteceu que”; (Lc 8.22a). “E aconteceu?”. Ou seja, de repente? Sem avisar? Às vezes não tem previsão. Quando nos percebemos já aconteceu! Fica tudo escuro, nuvens densas e assustadoras. “Num daqueles dias”; (Lc 8.22b). Um dia comum igual a todos os outros dias. Mais um dia em nossas vidas. Um dia de trabalho, de escola, de casa, de lazer. Um dia bonito com um sol maravilhoso, bom para ir para a praia, um parque. Jesus e os Seus discípulos entraram no barco. “E navegando eles, adormeceu”; (Lc 8.23a). Para os discípulos seria mais um dia comum. Mais um dia em que eles estariam novamente em um barco, afinal alguns dos discípulos eram pescadores. Pedro, Tiago e João conheciam aquele lago. E eles então partiram. Dia bonito calmo! Jesus adormeceu? “Sobreveio uma tempestade”; (Lc 8.23b). Se os discípulos soubessem que haveria uma tempestade, eles não teriam entrado naquele barco. Teriam dito a Jesus: “Mestre não é seguro irmos”. “De vento forte”; (Lc 8.23c). Junto com a tempestade vem o vento forte. Ficamos preocupados. É diferente daquelas situações comuns que nos enfrentamos no nosso dia a dia que vêem como uma chuva comum. Uma gripe, um mal estar, uma febre, uma discussão domestica uma briga familiar ou um desacordo no trabalho com o chefe. Estas coisas fazem parte do contexto da vida, estão dentro do nosso controle. “No lago”; (Lc 8.23d)Questionamos e perguntamos: De onde veio este vento? De onde veio esta tempestade? Porque disso? E veio justamente a onde eu estou? E nos não sabemos como nos defender. De repente vem o vento forte no lago! Na minha casa, na minha família, na minha vida. Desemprego, doença, morte, divórcio, situação financeira, Solidão. E pensamos e agora Jesus? Porque durante as tempestades, é comum aparecer algo que chamamos de desespero. Afinal tempestade assusta e com ela vem a destruição. “Adormeceu”; (Lc 8.23a). Mediante a tempestade que nos coloca em perigo. Voltando no início do versículo 23. Diz que Jesus esta dormindo? Às vezes nos temos realmente esta impressão.  “E o barco enchiam-se de água, estando eles em perigo”; (Lc 8.23e). Eles entraram em desespero, entraram em crise. Mediante a força da tempestade e as circunstâncias de como ela ocorreu. O barco estava começando a afundar. Entraram em desespero. Não sabiam o que fazer. É normal todo barco pequeno ou canoa ter um pequeno balde dentro. No caso de passar uma embarcação maior e jogar água dentro do barco. Então as pessoas que estão no barco tiram a água com o balde. Quando começa uma crise dentro do casamento, negócio ou na família. Logo pegamos o balde para tentar salvar o barco de afundar. Começa a entrar água no barco! Nos logo pensamos no balde. Porque se a coisa continuar do jeito que esta o barco vai afundar. Muitos transformam o balde em um recurso! Já pensam até em aumentar o tamanho do balde! Agora sim pode vir à tempestade que eu estou protegido. Achando que tem o controle da situação. O balde dos discípulos não resolveu a situação.

     “E chegando se a ele, o despertaram”; (Lc 8.24). Jesus não é a razão deste despertar e sim o motivo.  O  que é razão? – Faculdade que tem o homem de avaliar, julgar, ponderar, raciocinar. De ter relações lógicas, de conhecimento, compreensão, inteligência e juízo. O que é motivo? – Que pode fazer mover; força motiva; o que causa, produz ou determina algo.  Jesus não precisa se despertar (Tirar do sono, acordar). em nossas vidas. Não tem como Jesus ficar ou estar inativo, inerte dentro do homem que o reconhece como o Seu salvador! Ele já é ativo em nós. “E ele, levantando-se, repreendeu o vento e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança”; (Lc 8.24b). Jesus sabe o que nos incomoda! Ele levanta e repreende o vento. Ele fez o dia ficar bonito novamente. Esta tempestade ele repreendeu! Mas sempre vai haver tempestades, como eu já disse, elas fazem parte da nossa vida. Deus não separa tempestades de justos e ímpios. Tempestades vêm para todos. Não existe um anjo que separa nuvens no céu. “Esta nuvem pra lá, esta pra cá!”. Creia em Jesus porque mesmo se a tempestade vier, ela não vai afundar o seu barco. Jesus nos garante a vitória, mas não nos coloca imunes as tempestades da vida. O QUE ENTÃO PRECISA SER DESPERTADO? “E disse-lhes: Onde está a vossa fé?”; (Lc 8.25a). Eu não entendo que Jesus estava censurando aos discípulos. Ele estava despertando-os! Os discípulos é que estavam dormindo espiritualmente no barco. O que nós faz receber as promessas de Deus é a nossa fé, temos que crer. Dar por certo, dar como verdadeiro, como já realizado. Nós temos que crer em Deus, acreditarmos em Sua Palavra e coloca-lá em prática (rotina, hábito, uso, aplicação). Todas as situações ocorrem em nossas vidas com um objetivo principal. Nós empurrar, impulsionar para a frente.  Deus não envia as situações contrárias, Ele permiti que elas aconteçam. Para que através destas situações aparentemente contrárias nós venhamos a ter a nossa fé aumentada. Deus não quer que sejamos meninos na fé e sim, homens e mulheres experientes para crescermos de fé em fé. Deus quer te ver vivendo da fé, andando, marchando e vencendo em vitória através da fé! “E eles, temendo, maravilharam-se, dizendo uns aos outros: Quem é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?”; (Lc 8.25b). Sabe o que me impressiona nesta pergunta dos discípulos? Por mais que eles andassem com Jesus, presenciassem os Seus milagres, Jesus sempre os impressionava. 

Graça & Paz. 

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.