O que é opressão espiritual?

15 de novembro de 2017

O que é opressão espiritual?


     “Bem aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”; (Sl 1.1).

Satanás ataca ao homem em três estágios! 

     Um exemplo como isto ocorre na prática: Uma pessoa começa a fumar maconha ou usar cocaína (ela entra no 1º estágio; anda). Depois esta mesma pessoa passa a conviver com as pessoas viciadas em drogas (ela passou para o 2º estágio; ela se detem, faz parte de uma turma, um grupo). Ela passa a comercializar drogas em geral (atingiu o 3º estágio; se assenta). De usuario, ela virou patrão, ela agora tem usuários, clientes e empregados. Começou de uma forma simples, sem maldade, agora já é mais difícil de sair não somente do vício, como também do esquema criado por Satanás para laçar a esta vida e também outras vida através dela. A presença do Espírito Santo é amor, paz e alegria. A presença dos espíritos malignos são inquietações, confusões e obras da carne. O cristão tem que ter a sensibilidade e o discernimento dos espíritos para discernir se é uma atuação de espíritos malignos ou se é ação da carne em uma determinada demanda. Os sintomas da ação dos espíritos malignos são: cacoetes em excesso, arremessos de coisas, efeitos contrários a aceitação da Palavra de Deus. Mostrar os órgãos genitais em público, comer carne crua, comer fezes, comer insetos, dormir em cemitérios e várias outras coisas sem explicações normais. Na comprovação de ser uma ação maligna, não se deve falar diretamente com a pessoa, e sim ao espírito imundo. 

“E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo. E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu”; (At 16.16-18). A pessoa não deve impor as suas mãos e nem fechar os seus olhos enquanto ora. Ela deve falar do poder do nome de Jesus, e levar à pessoa a aceitá-lo e ser a habitação do Espírito Santo.

ataque - a opressão

      “Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando angustiado por causa da opressão do inimigo? Como com ferida mortal em meus ossos, me afrontam os meus adversários, quando todo dia me dizem: Onde está o teu Deus? Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei. Ele é a salvação da minha face, e o meu Deus”; (Sl 42.9-11). O homem é um ser psicossomático (espírito, alma e corpo). A opressão é uma força forte externa atuando na mente, mas sem domínio interno. A opressão utiliza o medo excessivo tentando atingir a alma. O medo é uma mentira criativa externa, a pessoa tem um medo externo e não o revela pelos lábios, este medo não é criativo. A partir do momento que a pessoa revela este medo, e este medo é expresso em palavras. Satanás então consegue ter uma legalidade concedida pelas palavras da própria pessoa, para atuar através de situações e traumas. A opressão não possessa, ela leva a pessoa à loucura. A loucura é deixar a mente normal, sem conhecimento e sem reação. A pessoa oprimida passa a viver em dois mundos paralelos, um real e outro fictício e conseqüentemente é levada a morte. Os demônios das hostes que trabalham na área familiar têm um relatório completo dos antepassados da família; traumas, depressão, vícios, angústia, insônia e suicídios. Opressão é uma sobrecarga com intuito de apertar, comprimir, esmagar e sufocar. Podemos ver e sentir os reflexos da opressão por toda parte, porque essa é a função dos demônios, oprimirem a humanidade. A opressão inicialmente gera a depressão. O centro de comando da carne (alma + corpo) é a mente. A mente é o maior campo de batalha entre o homem e Satanás. As forças malignas tentam se aproximar o máximo da mente humana, lançando setas para alterar as emoções e determinar o que o homem deve sentir, pensar, ser e agir. Os demônios “tentam” controlar a vontade própria, substituindo-as pelas deles. Mas graças a Deus, que eles não conseguem e nem podem controlar 100% a mente humana.

o 2º ataque - a obsessão

      “E aconteceu, ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o seu semblante. E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E, se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás. E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou”; (Gn 4.3-8). Os demônios das hostes, potestades, dominadores e principados do ar, também conhecidos como espíritos malignos (espíritos imundos), agem nos acontecimentos que cercam ao homem no seu cotidiano, no seu dia-a-dia. Através de problemas pessoais, familiares, situações financeiras, perseguições, enfermidades, perdas, acidentes etc. Eles tentam desta forma abalar ao homem psicologicamente e enfraquecer a sua comunhão com Deus. A opressão, tanto no corpo como na alma e nas circunstâncias, se não for rapidamente combatida. Pode levar a pessoa oprimida ao segundo estágio de ataque de Satanás, que é conhecido como a obsessão. A obsessão é um pensamento, ou impulso, persistente ou recorrente, indesejado e aflitivo, e que vem à mente involuntariamente. A obsessão ao contrário da opressão não atua operando no medo, ela atua agindo na utopia, baseada na realidade entre a pessoa obsessa e as coisas que a cercam no seu próprio mundo. A pessoa obsessa pode criar um mundo próprio de felicidade e alegria, ou de tristeza e ódio. A pessoa neste estágio de ataque, passa a ter uma ilusão e passa a vivê-la como uma realidade vital. Existem casos de pessoas que perdem um cônjuge ou um filho e tentam achar uma pessoa com as mesmas características físicas com o intuito de raptá-la. E muitas das vezes esta pessoa é aprisionada e mantida a força dentro da convivência imaginaria da pessoa obsessa. A pessoa obsessa pode cometer crimes, assassinatos e suicídio. Neste estágio de ataque a pessoa obsessa é mais resistente a ação de Deus e principalmente de Sua Palavra. 

o 3º ataque - a possessão

      “E estava na sinagoga deles um homem com um espírito imundo, o qual exclamou, Dizendo: Ah! que temos contigo, Jesus Nazareno? Vieste destruir-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus. E repreendeu-o Jesus, dizendo: Cala-te, e sai dele. Então o espírito imundo, agitando-se e clamando com grande voz, saiu dele. E todos se admiraram, a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Que nova doutrina é esta? Pois com autoridade ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem!”; (Mc 1.23-27). A possessão demoníaca ocorre quando um ou mais demônios se apossam e permanecem no corpo de uma pessoa, assumindo parcial controle da mente e do corpo. Nesse caso, a personalidade da pessoa possessa fica semi escravizada. É o último estágio de ataque de Satanás. O corpo e a mente são possuídos e dominados por uma entidade, e se não houver uma intervenção divina a pessoa possuída é levada à morte. Somente ocorre uma possessão se a mente de uma pessoa fica em estado zero (beta). A opressão e a obsessão atuam somente em uma área do homem. Elas atuam na mente (psique), já a possessão atua em duas áreas do homem, ela atua na mente e no corpo. Quando a mente esta ativa, estamos no estado alfa. No estado zero (beta) a mente não da à ordem de comando aos músculos, sentidos e instintos do corpo. Os espíritos malignos não conseguem dominar os 100 % que a mente tem de coordenação sensorial do corpo. A pessoa possessa fica fora do seu comum, intranqüila, voz distorcida e cabeça baixa. Fatores que levam a mente ao estado zero: Estado de coma, bebidas, drogas, transes e terapias. A possessão demoníaca causa mudanças na pessoa como: (1) Personalidade – Excesso de fúria, gritos e berros, tremedeiras e zombaria. (2) Física – Afeta a voz, babas, olhos vidrados e parados. (3) Mental – Capacidade anormal, telepatia, levitação e premonição. (4) Espiritual – Reage com violência à confissão da Palavra, louvor e oração.

     Satanás pode possessar um corpo físico? Sim, ele possessou o corpo físico da serpente no jardim do Éden. “Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim?”; (Gn 3.1).  “E houve batalha no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhavam o dragão e os seus anjos, mas não prevaleceram; nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele”; (Ap 12.7-9). Satanás pode controlar a mente de uma pessoa? Sim, ele possessou o coração (sentimentos, desejos, instintos ) e também possessou a mente; (intelecto, vontade, razão) de Judas Iscariotes. “Estava, pois, perto a Festa dos Pães Asmos, chamada de páscoa. E os principais dos sacerdotes, e os escribas andavam procurando como o matariam, porque temiam o povo. Entrou, porém, Satanás em Judas, que tinha por sobrenome Iscariotes, o qual era do número dos doze. E foi e falou com os principais dos sacerdotes, e com os capitães de como lho entregaria, os quais se alegraram e convieram em lhe dar dinheiro. E ele concordou e buscava oportunidade para lho entregar sem alvoroço”; (Lc 22.1-6). “E, acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse”; (Jo 13.2). “Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo”; (2 Co 11.3). Como então resistir a esses três ataques de Satanás? Se aproximando mais de Deus! Realizando a Sua vontade, sujeitando a Ele. “Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”; (Tg 4.7). Sujeitar e resistir, ambas atitudes envolvem e requerem uma ação. Nós nos submetemos a Deus através da obediência.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.