Porque Deus mandou um vento?

15 de junho de 2014

Porque Deus mandou um vento?


  
     “Então, Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas”; (Êx 14.21). 

     Ao chegar às margens do Mar Vermelho o povo de Israel quase 3.000.000 de pessoas (sem contar os velhos, as crianças e os estrangeiros) viram-se em uma situação dificílima e bem complicada. Eles estavam sitiados, cercados e rodeados por todos os lados. O 1º cerco providenciado através do exército de faraó composto de 600 carros de guerra, 50.000 cavaleiros e 200.000 homens de infantaria bem armados. Não lhes sendo possível escapar, porque o Mar Vermelho os cercava de um lado. O 2º cerco sendo através de montanhas inacessíveis, com rochedos que se estendiam por todo  o litoral da praia. Eles não podiam combater, lutar, porque não tinham armas. Assim, nada mais lhes restavam senão pararem e voltarem a servir a faraó. Esse eminente perigo fê-los esquecer os muitos milagres que Deus havia realizado para colocá-los em liberdade. “Então, Moisés estendeu a sua mão sobre o mar...”; (vs 21a). A palavra “Então” é um advérbio que é usado em uma frase para determinar um momento, mostrar uma ocasião ou uma ação. É utilizado nas maiorias das vezes para determinar uma reação mediante a um fato, ou situação! Mediante a esta situação Moisés profetizou. Deus usa os seus ungidos para declarar as Suas benções sobre nos. Deixe-o estender a sua mão sobre a sua vida, sua casa, sua família, os seus negócios. Nós temos autoridade da parte de Deus para te abençoar. Moisés profetizou sobre o mar, ele sabia muito bem o que fazer. Ele já havia clamado a Deus. 

E Deus já o havia respondido.  “E tu, levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco”; (vs 16). Na Tipologia bíblica “mar” tipifica nações, povos. Mas especificadamente nesta passagem “mar” tipifica uma porta, uma passagem, um caminho para a saída da escravidão do Egito. E após esta saída o inicio de uma jornada de entrada na terra prometida. Profetize sobre aquilo que esta te impedindo de ser feliz neste momento em tua vida. Abra uma porta, um caminho de Deus no meio dessa situação e cruze as dificuldades em meio as ondas gigantes que te assustam e assolam. “... e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento...”; (vs 21b). Preste atenção que o mar não se abre no momento em que Moisés estendeu as suas mãos sobre as águas. O mar não se abre assim não! O estender as mãos de Moisés e tocar nas águas foi o  sinal de fé! Um ato para determinar que Deus iria realizar algo.  O que Deus fez? Deus mandou um vento.  “E o Senhor destruirá totalmente o braço do mar do Egito, e moverá a sua mão contra o rio com a força do seu vento”; (Is 11.15).  Ele abriu as mãos e o vento veio. Quando mais forte o vento soprar sobre a sua vida, maior vai ser o caminho que Deus vai abrir. Deus vai abrir as mãos, e o vento vai soprar. Quem é que fez o vento? Quem é quem mandou o vento? Deus é quem faz, realiza e determina. Deus quem efetua, concretiza todas as coisas em nós e em nossas vidas! 

     “... oriental toda aquela noite...”; (vs 21c). O povo saiu do Egito no dia 15 de Nissan, 1º mês do calendário judaico. A travessia do Mar Vermelho ocorreu uma semana após a saída. Começou no dia 21 de Nissan, à tarde e terminou na manhã do dia 22. Esta data corresponde ao 4º mês Kiahk do calendário egípcio, os nossos dias 9 e 10 de Abril. A situação climática atmosférica daquele momento não era propícia para ventos fortes, vindo do oriente. Pois era um mês de chuvas tardias e os ventos se formavam no lado ocidental, por causa das montanhas litorais, seria impossível a formação de ventos vindo do oriente. E ainda por cima vento forte? Para te abençoar, Deus muda geografia, alterá temperatura, faz chover, manda vento, para o sol, tudo isso por causa de mim e de você. Ele realiza por nós. As águas foram abertas do lado oriental para o lado ocidental, e não do lado ocidental para o oriental!  O Mar Vermelho não se abriu de cá prá lá e sim de lá pra cá. O povo não entraria nas águas se elas começassem a abrir na frente deles, ficariam com medo ao ver aquelas paredes de águas enormes diante deles. De modo que levou uma noite inteira para que o mar fosse dividido e os israelitas o atravessassem. 

     Perto do amanhecer o povo de Israel chegou ao lado oriental. “Então, Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o mar retornou a sua força ao amanhecer”; (vs 27). Quando os egípcios perceberam que o mar se fechava, tentaram retroceder, mas já era tarde as águas os alcançaram. Ou seja, as águas fecharam se do oriente e o exército de faraó fugia de volta para o ocidente. O choro pode durar uma noite, mas a alegria virá ao amanhecer. Amanhã de manhã você já terá resposta de sua vitórias. Deus mandará o seu vento e destruirá o que esta te afligindo e a sua alegria virá ao amanhecer. Eu imagino o povo de Israel observando os egípcios sendo açoitados pelas águas e sendo misturados com o barro. E eles se lembrando dos açoites que levaram e dos tijolos que eles faziam de barro no tempo da escravidão. Aquilo com que o inimigo te aflige ele será afligido. “... e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas”; (vs 21d). O Mar vermelho se abriu, apareceu um caminho no meio das águas. Esse caminho foi suficiente para passar o povo, os carros de faraó e os seus soldados. De acordo, segundo as investigações arqueológicas as dimensões desse caminho feito no Mar Vermelho naquela época eram: De 900 a 945 metros de comprimento. De 14 a 18 metros de largura e de 10 a 20 metros no ínicio e de 40 a 60 metros de profundidade no meio. Deus te faz andar por um caminho no meio do mar! Mar tipifica povos, nações, você andará no meio dos povos e eles verão o agir de Deus em sua vida. Deus te levará a povos e nações que você nem imagina. Deixa o vento de Deus soprar ao seu favor.

Graça & Paz.
 

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.