O que é a Ceia do Senhor?

15 de novembro de 2012

O que é a Ceia do Senhor?


      “Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim”; (1 Co 11. 23, 24). 

     Os 5 pontos importantes para o entendimento da Santa Ceia (Ceia do Senhor). O 1º PONTOA Ceia do Senhor é uma ordenancá bíblica fruto de uma revelação divina. “Porque eu recebi do Senhor ...”; (Vs 23a). O apóstolo Paulo recebeu de quem? A Ceia do Senhor não é um ato criado pelo homem. O homem so pode receber da parte de Deus. A Ceia é uma revelação dada a nós pelo próprio Deus. O 2º PONTOA Ceia do Senhor é uma ordenança que é repassada de geração em geração no meio do povo de Deus. “ ... o que também vos ensinei”; (Vs 23b). O apóstolo Paulo esta passando, ou melhor repassando do mesmo jeito, da mesma maneira pela qual ele recebeu. como homens de Deus nós temos a responsabilidade de repassar aquilo que recebemos da parte de Deus da mesma forma, da mesma maneira, do mesmo jeito que recebemos. O que é isso?  Fidelidade. O 3º PONTOA Ceia do Senhor é um ato de gratidão. “E, tendo dado graças ... ”; (Vs 24a).   Se você estudar, analisar a Bíblia, você perceberá que gratidão é uma virtude intrínseca (que está dentro, que faz parte), ou seja, é inseparavél da vida cristã.   O evangelho de Mateus contém 28 capítulos. O evangelho de Marcos contém 16 capítulos.  O evangelho de Lucas contém 24 capítulos e o O evangelho de João contém 21 capítulos. Juntos os 4 evangelhos da Bíblia, contém 89 capítulos. 

     Esses 89 capítulos retratam, relatam a vida pessoal e ministerial de Jesus. Eles descrevem a gratidão de Jesus em relação ao Pai por 27 vezes. As orações de Jesus começavam assim: "Graças te dou o Pai". Na celebração da santa ceia, nós agradecemos a Deus pelo sacrifício realizado, feito, efetuado através de Cristo por nós. Nós não eramos dignos e nem merecedores da  misericordia de Deus, mas através da Sua graça e salvação nós fomos alcançados, e hoje somos livres. Hoje, podemos participar do banquete da mesa, da qual antes não podiamos comer  sequer as migalhas que caiam dela. Outro benefício de dar graças. Agradecer é manter a porta aberta para receber mais. Nós recebemos quando pedimos no Nome de Jesus, mas Deus efetua, faz, realiza muito mais quando nós agradecemos. É de suma importância que nós tenhamos gratidão em tudo o que Deus realiza em nossas vidas. Nós pedimos a Deus há varejo e agradecemos no atacado. Vou explicar: Nós pedimos a Deus tudo bem explicadinho, especificamos tudinho em riquezas de detalhes. E agradecemos assim: Obrigado por tudo Deus, amém. Nós pedimos no varejo, na unidade e agradecemos tudo no atacado, no pacote. O 4º PONTOA Ceia do Senhor é um ato de quebrantamento. “ ... o partiu ... ”; (Vs 24b). Enquanto uma pessoa estiver inteira, integral, essa pessoa serve somente para si mesmo. Pensa somente nela mesma. Ela é egocêntrica. Ela pensa que o mundo gira, gravita somente nos seus interesses. Parece aquela criança que é filho único (tudo é meu, tudo é para mim). Tem cristão que faz a sua oração assim: “Senhor abençoa a mim, abençoa a minha esposa, abençoa os meus filhos e mais ninguém”Mas quando eu e você somos partidos. Nós deixamos de ser um e passamos há servir para mais alguém. Quanto mais nós nos partimos, mais pessoas são alcançadas e abençoadas. Você vai sendo partido mais também vai sendo multiplicado. Eu somente posso ser benção quando eu for partido. O 5º PONTOA Ceia do Senhor é um memorial. “ ... fazei isso em memória de mim”; (Vs 24c). Participar da Ceia do Senhor é relembrar a vitória de Jesus sobre o pecado, a vitória sobre a morte, a vitória sobre Satanás. É voltarmos com Ele ao Golgota, é subirmos com Jesus no Monte das Oliveiras, é estarmos com Ele no jardim do Getsemani. É chegarmos com Ele ao Calvário. É entendermos que Jesus venceu ao Calvário. É entendermos que ele realmente morreu, mas também que Ele ressuscitou! Se Ele não tivesse vencido a morte em vão seria a nossa fé. É declararmos que nós não comemoramos a Sua morte, e sim declaramo que Ele vive. É um dia todos nós estaremos em uma grande ceia no Céu, e seremos servidos por Ele.

     “Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, e, abençoando-o,o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. E, tomando o cálice e dando graças, deu-lho, dizendo; Bebei dele todos. Porque isto é o meu sangue, o sangue do Novo Testamento (Concerto; Aliança), que é derramado por muitos, para remissão dos pecados”; (Mt 26.26-28). Dois elementos são essenciais na Ceia do Senhor; “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia”; (Jo 6.54). Não podem faltar na Ceia do Senhor: O pão & O vinho. Se você estiver participando da  Ceia do Senhor (Santa Ceia) em uma igreja, e lhe oferecerem somente um desses dois elementos. Se não te derem o pão ou um elemento derivado do trigo. Ou se não te derem o vinho ou um elemento, ou um fruto derivado da vide. Você estará colocando em risco a sua vida eterna, e a sua ressurreição. Você não estará realizando uma ordenança da forma correta, da maneira certa como foi descrita pelo Senhor Jesus. Todas as civilizações, povos, tribos e nações de todas as épocas conheceram e tiveram esses dois elementos em suas tradições e culturas. E da mesma forma em todo o mundo comtemporâneo, ou seja o mundo atual conhece e tem posse desses dois elementos. O pão representa o corpo de Jesus. Assim como nós partimos o pão na Ceia e o repartimos entre nós. O corpo de Jesus foi partido por nós. Deus realizou esse sacrifício com alegria, Deus se agradou em partir, moer ao corpo de Jesus na Cruz. “Todavia, ao Senhor agradou o moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão”; (Is  53.10). O corpo de Jesus ao ser moido, e repartido cada átomo, cada célula, cada molécula (combinação de no mínimo dois atomos) se multiplicou e tornou-se  posteridade. Eu e você, Porisso foi do agrado do Pai, para que houvesse posteridade. A Igreja é esta posteridade. 

     A carne de Jesus pagou o preço do pecado. “Ora, pois, já que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também vós com este pensamento, que aquele que padeceu na carne já cessou do pecado”; (1 Pe 4.1). Existe uma doutrina chamada de transubstanciação, os que nela creem acreditam que o pão e o vinho se transformam literalmente e verdadeiramente no corpo e sangue de Cristo no momento da Ceia, quando são apresentados pelos ministros. Nós porém rejeitamos essa doutrina, pois não tem embasamento bíblico. Os elementos permanecem da mesma substância que são, pão e vinho. O fiel recebe  fisicamente o pão e vinho, mas espiritualmente e pela fé, recebe os benefícios da comunhão com Jesus. O vinho representa o sangue de Jesus. O sangue de Jesus pagou o preço do nosso resgate. “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado”;   (1 Pe 1.18,19). O sangue de Jesus efetuou o sacrifício perfeito. “Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção”; (Hb 9.12). Deus durante todo o Antigo Testamento ouvia, escutava o clamor do sangue de Abel. “E disse Deus: Que Fizeste? A voz do sangue do seu irmão clama a mim desde a terra”; (Gn 4.10). O sangue de Abel foi derramado sobre a terra. “Para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo...”; (Mt 23.35). O sangue de Abel clamou até o momento em que Jesus morreu na cruz do Calvário. “E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel”; (Hb 12.24). O sangue de Jesus nós colocou no Lugar Santíssimo, diante do Trono do Pai. “Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus”; (Hb 10.19). 
    
Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.