O que fez Jesus três dias no Hades?

15 de janeiro de 2015

O que fez Jesus três dias no Hades?


      “Então, alguns dos escribas e dos fariseus tomaram a palavra, dizendo: Mestre, quiséramos ver da tua parte algum sinal. Mas ele lhes respondeu e disse: Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém não se lhe dará outro sinal, senão o do profeta Jonas, pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do Homem três dias e três noites no seio da terra”; (Mt 12.38-40).   

     Os motivos pelos quais Jesus teve que por três dias descer ao Hades. 1º DIA  - Jesus Cristo foi ao Paraíso, ao Seio de Abraão. Ele foi proclamar-se, e revelar-se como o Messias. “O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque o Senbor me ungiu para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos (de qualquer situação espiritual, vícios, doenças, pecados, opressão sobre a alma, o espírito e sobre o corpo), e a abertura de prisão  aos presos (literalmente aqui, se refere há pessoas as quais estão em um ambiente de prisão em um cárcere privado); a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes”; (Is 61.1,2). Jesus Cristo foi resgatar as almas dos justos e também o lugar, o cárcere, o lugar, o ambiente. “Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. Ora, isto ele subiu que é, senão que também, antes, tinha descido às partes mais baixas da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas”; (Ef 4.8-10).   
          
       “Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também”; (Sl 139.8). O apóstolo Paulo quando foi arrebatado ao 3º Céu, ele viu o Paraíso na presença de Deus, por isso ele relata desta forma: “Foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, de que ao homem não é lícito falar”; (2 Co 12.4). Este resgate foi o prenúncio do arrebatamento da Igreja. No momento de Sua morte na Cruz, muitos justos foram ressuscitados, como primícias de Sua descida ao Hades.  “E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras. E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na Cidade Santa, e apareceram a muitos”; (Mt 27.51-53). 2º DIA – Jesus Cristo foi ao Lugar de Tormento. Ele pregou juízo aos ímpios. Aos Os incircuncisos, que não tinham a aliança de Abraão. Os que não creram Nele. Jesus tinha que se revelar também para eles. Deus não condena ao homem sem antes lhe mostrar que ele teve uma chance para ser salvo. O Evangelho e boas novas para os que se salvam e, juízo para os que se perdem. Estes mortos são todos aqueles que não creram que Jesus é o Messias, Filho do Deus vivo! Eles ouviram e não creram, todos os profetas, e os patriarcas profetizaram a respeito de Jesus e mesmo assim eles não creram. Por isso estavam presos no Lugar de Tormento e não no Seio de Abraão. “Porque para Deus somos o bom cheiro de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem. Para estes, certamente, cheiro de morte para morte; mas, para aqueles cheiro de vida para vida. E, para estas coisas quem é idôneo?”; (2 Co 2.15,16). O Evangelho pregado por Jesus no Lugar de Tormento, no Hades não foi Evangelho de salvação! Os ímpios serão ressuscitados na carne e receberam a condenação eterna no espírito. “Porque, por isto, foi pregado o evangelho também aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens, na carne, mas vivessem segundo Deus em espírito”; (1 Pe 4.6). Vivessem segundo a Deus em espírito? A sentença será na carne (união entre a alma e o corpo). Mas, é o espírito que mantém a alma e o corpo vivos. Então os mortos terão que receber o espírito de vida, para viverem uma morte eterna no Gehenna, que é o Lago de Fogo e Enxofre, na segunda morte, que é, e será a morte eterna.

     3º DIA – Jesus Cristo foi ao Abismo proclamar juízo aos espíritos. “No qual também foi e pregou aos espíritos em prisão, os quais em outro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água”; (1 Pe 3.19-20). “Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo; e não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios”; (2 Pe 2.4,5). “E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande Dia”; (Jd 6). Os demônios que são enviados para o Abismo não podem sair de lá.  “E perguntou-lhe Jesus, dizendo: Qual é o teu nome? E ele disse: Legião; porque tinham entrado nele muitos demônios. E rogavam-lhe que os não mandasse para o Abismo”; (Lc 8.30,31). 

     O caso particular da morte de Jesus CristoO Espírito Ele entregou ao Pai na Cruz. Alma foi ao Hades (Seio de Abraão, Lugar de Tormento, Abismo). Corpo ficou na sepultura, esperando a ressurreição. Qual foi o Evangelho que Jesus Cristou pregou aos que estavam no Lugar de Tormento?“Os quais hão de dar conta ao que está preparado para julgar os vivos e os mortos; porque, por isto, foi pregado o evangelho também aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens, na carne, mas vivessem segundo Deus em espírito”;  (1 Pe 4.5,6). Ao morrer, Jesus Cristo em Pessoa (Sua alma) foi ao Hades. Ele realizou o Seu ministério em Sua morte. Ele tinha o selo do Espírito Santo. Esta função vital equivale a um penhor que lhe dava garantia como vencedor sobre a morte. Por isto a morte não tem poder contra Ele. Quem são esses mortos? Esses mortos não são os santos, pois os que estão em Cristo jamais serão julgados. “Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.  Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne”; (Rm 8.1-3). A trajetória de uma pessoa que morria antes de Jesus Cristo ir ao HadesO espírito regressa a Deus: “E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu”; (Ec 12.7). Deus ao criar o homem colocou a personalidade do homem em sua alma, porque se houvesse colocado-a no espírito, na ocasião do seu regresso a Deus, seria considerado uma pessoa. E dessa forma todos nós automaticamente voltaríamos para Deus. A alma é a pessoa propriamente dita, ela vai ao Hades, tanto a alma do justo como a do ímpio. A alma do justo vai ao Seio de Abraão, e a do ímpio, ao Lugar de Tormento. O corpo fica na sepultura. Os corpos dos justos esperam a ressurreição dos mortos, antes do arrebatamento da Igreja. Os corpos dos ímpios, somente ressuscitarão após o Reino Milenar de Cristo, na ocasião do tribunal do trono branco, na 2ª ressurreição. Tenha em mente que a 1ª ressurreição é para receber glorificação e galardão, e a 2ª ressurreição será para receber a sentença de condenação eterna. como esta o Hades nesse momento, hoje?  O Hades hoje continua sendo uma grande prisão e também é um lugar intermediário, antes do verdadeiro Inferno, o Lago de Fogo e Enxofre “Gehenna”. “E a morte e o inferno (Hades). foram lançados no lago de fogo (Gehenna). Esta é a segunda morte”; (Ap 20.14). Hoje, quando um justo morre, a sua alma é levada pelos anjos diretamente para a Nova Jerusalém Celestial.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.