Onde esta a Arca do Concerto?

15 de junho de 2013

Onde esta a Arca do Concerto?


 “Trazendo, pois, a arca de Deus, a puseram no meio da tenda que Davi lhe tinha armado”; (1 Cr 16.1a).

     Davi preparou lugar para a arca, um lugar especial para ela ficar! A arca havia sido retirada do tabernáculo de Moisés, depois tirada de Siló, aos cuidados do sacerdote Eli, e em seguida ela foi tomada pelos filisteus para nunca mais retornar àquele Tabernáculo. Durante muitos anos a arca, que na Tipologia expressava a realidade espiritual da presença de Deus, ficou vagando de cidade em cidade, fora do seu verdadeiro domicílio. Por muitos anos a arca, sem teto, gerava situações problemáticas para o povo nas cidades onde ela permanecia, até chegar à sua antepenúltima parada, a casa de Obede-Edom. Davi resolveu construir uma tenda a fim de abrigar a arca. O curioso é que o tabernáculo continuava em Siló, indo depois para Gibeom, mas a arca, desde que foi retirada de lá, nunca mais voltou para ele. Por que será que Davi resolveu construir uma tenda para a arca, se o seu lugar continuava vazio no tabernáculo de Moisés? Ainda que a arca estivesse afastada do seu lugar de origem, esta transferência de residência do tabernáculo de Moisés para a tenda de Davi, tem algum significado espiritual de importância para a história do povo de Deus. Essa transferência  não foi um  mero capricho de um líder revolucionário, mas o eterno propósito de Deus em andamento através da vida de um homem. Que em suas três unções prefigurava aquele que viria para estabelecer o tabernáculo permanente da Sião celestial. 

     É importante observarmos que a Bíblia não relata mais sacrifícios de animais na tenda de Sião. No tabernáculo de Moisés os sacrifícios eram diários, enquanto na tenda de Davi houve apenas um sacrifício no dia da introdução da arca na tenda. Isto é significativo e profético em relação à obra do Calvário, que é a realidade espiritual da nova aliança, como sacrifício definitivo. No tabernáculo de Moisés, a arca ficava escondida no escuro do Santo dos Santos. No tabernáculo de Davi, a arca achava-se exposta para que todos os adoradores pudessem se aproximar. A tenda de Davi era o Lugar Santíssimo, não existia o Átrio e nem o Lugar Santo. Depois a arca voltaria para o espaço reservado no Lugar Santíssimo do templo de Salomão, o qual Davi pretendia construir, representando o descanso eterno. Na ocasião em que Salomão construiu o templo no monte Moriá, ele levou a arca que se encontrava na tenda de Davi no monte Sião e colocou-á no seu descanso no Lugar Santíssimo. Nesse relato de transferência de lugares da arca, o importante é denotarmos que Davi preparou um lugar. Querer ter continuamente a presença de Deus sem preparar um lugar especial em seu coração para Ele, é uma loucura. Deus necessita de ter um lugar especial preparado para a habitação de Sua glória, e tem que ser no meio, no centro. No tabernáculo de Moisés, a arca ficava no Lugar Santíssimo, no Santo dos Santos. Era o principal objeto do Tabernáculo. Jesus é o principal em tudo o que somos, temos ou realizamos. Devemos deixá-lo no Lugar Santíssimo do nosso ser, que  é o espírito. A arca no Lugar Santíssimo é o tipo de Cristo que esta no Santuário celestial, no Seu trono, recebendo todo o louvor, glória, honra e domínio, como também prefigura a Sua habitação em nós. A arca no meio é também o tipo da presença de Deus revelada em Cristo no centro de Seu reino. A Tipologia literal do governo de Deus no meio do Seu povo. Onde estava a arca, ali estava o Senhor e a sua Lei. Tipologia do coração do cristão que abriga a Palavra. É o centro da revelação de Deus pelo Seu povo, no Santo dos Santos. A história da arca no Antigo Testamento profetiza a história da arca do Novo Testamento, que é Jesus Cristo. Assim como a arca estava em primeiro lugar e sobre tudo na história de Israel, assim Jesus Cristo é o primeiro e tem a primazia sobre todas as coisas diante de Deus e na Igreja. A jornada da arca é uma Tipologia completa da vida de Jesus Cristo, do Seu nascimento, unção, vida, ministério, morte, ressurreição, glorificação e a Sua segunda vinda (parousia).

     Porque a arca desapareceu? Porque ela sumiu? Não se tem mais relato de sua presença no templo de Salomão.  Após a invasão de Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Bíblia menciona um grande incêndio que destruíu o templo. A arca desaparece completamente da narrativa bíblica apartir desse ponto. A arca foi retirada da terra por Deus e colocada em Sua presença, dentro da Nova Jerusalém Celestial, no Céu.“E abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca do seu concerto foi vista no seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e terremotos e grande saraiva”; (Ap 11.19). O profeta Jeremias recebeu da parte de Deus a revelação de que a arca desapareceria para sempre, e que não se faria uma nova arca! “E sucederá que, quando vos multiplicardes e frutificardes na terra, naqueles dias, diz o Senhor, nunca mais se dirá: A arca do concerto do Senhor! Nem lhes virá ao coração, nem dela se lembrarão, nem a visitarão; isso não se fará mais (nem se fará outra, em outras traduções)”; (Jr 3.16). Com a exceção da passagem do Livro de Apocalipse capítulo 11, versículo 19. A arca do concerto não aparece mais nos relatos, na narrativa do Novo Testamento! A arca é mencionada algumas vezes no Livro aos Hebreus em referência ao tabernáculo de Moisés, no Antigo Testamento. A arca desapareceu, por que ela deixou de ser uma representação, uma simbologia da presença de Deus, em um caixote de madeira de acácia, revestido de ouro. A arca passou a ser uma pessoa. O antítipo original e perfeito, substituiu ao tipo representativo! A arca hojé é Cristo, vivendo em nós!

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.