O animal vai para o Céu?

15 de agosto de 2013

O animal vai para o Céu?


     "E entrou Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele na arca, por causa das águas do dilúvio. Dos animais limpos, e dos animais que não são limpos, e das aves, e de todo o réptil sobre a terra, entraram de dois em dois para Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara a Noé"; (Gn 7.7-9).

     No que se refere à forma física atual do homem, o seu corpo é estruturalmente semelhante ao corpo animal. Feito de material orgânico o qual se decomporá, retornando ao pó, sucedendo o mesmo com os animais. Nessa passagem do Livro de Eclesiastes tem algo ainda mais interessante, que nós chama a nossa atenção, pois afirma que tanto o homem como os animais possuem “o mesmo fôlego de vida”.  O vocábulo original da Bíblia é “ruwach” (hb), e significa: “fôlego de vida; espírito”. Percebemos que tanto o homem como os animais possuem carne (a qual se decomporá)  e também o fôlego de vida. “Disse eu no meu coração: é por causa dos filhos dos homens, para que Deus possa prová-los, e eles possam ver que são em si mesmos como os animais. Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais; a mesma coisa lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego; e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para um lugar; todos são pó e todos pó tornarão. Quem adverte que o fôlego dos filhos dos  homens sobe para cima e que o fôlego dos animais desce para baixo da terra?”; (Ec 3.18-21). O fôlego de vida se refere ao espírito que Deus dá tanto aos homens como aos animais. 


Um cadáver, seja ele de homem ou de animal, já não mais possui o fôlego de vida, por isso está morto. No Livro de Eclesiastes, Salomão faz uma interessante indagação: “Quem adverte que o fôlego dos filhos dos homens sobe para cima e que o fôlego dos animais desce para baixo da terra?”; (Ec 3.21). O rei Salomão recebeu enorme e tremenda sabedoria de Deus. É ele quem está indagando, desejando saber, e esta não é uma afirmação, se você observar bem o versículo bíblico citado. Salomão está meditando e inquirindo sobre os mistérios de Deus, e isto está escrito por nossa causa, a fim de que nós também busquemos conhecer as coisas de Deus, seus mistérios e suas maravilhas reveladas aos filhos dos homens. O corpo e a alma irracional dos animais. Os animais possuem uma inteligência instintiva de domínio e conservação que são as reações que os levam a manterem-se vivos. Essa inteligência lhes faculta certa liberdade de ação e atuação. Os animais possuem uma alma, sendo esta, porém irracional, inferior à alma do homem“Havendo, pois, o Senhor Deus formado da terra todo o animal do campo e toda  ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome”; (Gn 2.19). Os animais têm carne (alma + corpo) com instintos e sentidos e também espírito de vida. “Eles, e todo o animal conforme a sua espécie, e todo o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil que se roja (arraste) sobre a terra conforme a sua espécie, e toda a ave conforme a sua espécie, todo pássaro de toda qualidade. E de toda carne, em que havia espírito de vida, entraram de dois em dois para Noé na arca. E os que entraram, macho e fêmea de toda a carne entraram, como Deus lhe tinha ordenado; e o Senhor a fechou por fora (Se a arca fosse fechada por dentro provavelmente Noé a teria aberto, para que as pessoas entrassem. É o tipo da porta da dispensação da graça)”; (Gn 7.14-16). 

     O CORPO ORGÂNICO NÃO ENTRARA NO REINO DE DEUS; “Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?  Insensato! O que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer. E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo ou doutra qualquer semente. Mas Deus dá-lhe o corpo como quer e a cada semente, o seu próprio corpo. Nem toda carne é uma mesma carne; mas uma é a carne dos homens, e outra, a carne dos animais, e outra, a dos peixes, e outra, a das aves. E há corpos celestes (criaturas espirituais) e corpos terrestres (criaturas físicas), mas uma é a glória dos celestes, e outra, a dos terrestres. Uma é a glória do sol, e outra, a glória da lua, e outra, a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela. Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção. Semeia-se em ignomínia (grande desonra, infâmia) ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor. Semeia-se corpo animal, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual. Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão, em espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, se não o animal; depois o espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu. Qual o terreno, tais são também os terrenos; e, qual o celestial, tais também os celestiais.  E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial. E, agora digo isto, irmãos: que carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção”; (1 Co 15.35-50). O que a Bíblia nos está ensinando e afirmando é que no Céu, criatura alguma terá corpo de carne. Ou seja, material, constituído de moléculas e substâncias físicas, mas todos os corpos serão celestiais. Serão espirituais e eternos, não feitos de matéria orgânica. Pois o que é espiritual é superior ao que é terreno. Deus explica de uma forma bem clara todos os tipos de corpos existentes! Os celestiais, os físicos, os cósmicos, os planetários, tudo muito bem detalhado, minuciosamente. Deus relata em detalhes as criaturas dos campos, das águas e dos céus. Ele especifica em detalhe justamente para não haver nenhum tipo de confusão, em relação à comparação final e única que são entre os corpos físicos e os espirituais. E o corpo espiritual prevalecerá!  Após a morte física, os corpos entram em decomposição e retornam ao pó. Na ressurreição, esses mesmos corpos serão transformados em corpos celestiais e eternos. Assim, tanto os corpos dos homens como os corpos dos animais retornarão ao pó. Quanto aos nossos corpos, sabemos que serão ressuscitados, porém a Bíblia não menciona a ressurreição dos corpos dos animais. Porém, se há neles fôlego de vida, isto é, espírito, o que sucede ao espírito que Deus deu aos animais? Certamente sabemos que o fôlego de vida dado por Deus não fica a vagar sem rumo, como se  fosse alguma coisa qualquer, algo de pouca importância. Não! O fôlego de vida não se dissipa como se fosse uma bolha de sabão. O fôlego de vida retorna (volta) para Deus.

     "E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu”; (Ec 12.7). Embora os animais sejam inocentes, pois eles agem através de seus instintos naturais.  E também os animais não possuem maldade da forma pela qual temos a consciência do que é “maldade”. Os animais não agem semelhantes ao intelecto, vontade e razão humana. Os animais não tiveram nenhuma participação em relação ao pecado no homem. Toda a criação ficou sujeita à corrupção por causa do homem, o qual introduziu o pecado no mundo. “Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, na esperança de que a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”; (Rm 8.20-23). A criação animal e vegetal não estava ainda da forma que ela deveria ser. Apesar de Deus ter criado todas as coisas perfeitas. A criação não havia mostrado toda a glória que ela um dia ainda terá. Por isso ela geme com dores de parto até agora! Mas a criação ira nascer de uma gloria maior do que ela tem agora. "A tua justiça é como as montanhas; os teus juízos são um grande abismo; Senhor, tu, Senhor, conservas os homens e os animais”; (Sl 36.6). Nesta passagem é importantíssimo saber que a palavra utilizada no original do Antigo Testamento para “conservas” é yasha (hb), e significa “salvar, libertar”. Quando Deus determinou que o dilúvio houvesse de destruir um mundo corrompido e mau. O Senhor fez com que os animais também entrassem na arca, junto com Noé e os seus familiares. A arca prefigurava a salvação trazida por Jesus Cristo. Assim como no dilúvio, Deus não excluiu os animais dessas importantes e totalmente reais alegorias sobre a salvação e sobre o mundo por vir. 

A RELAÇÃO ENTRE DEUS E A SUA CRIAÇÃO & CRIATURAS

     Deus ama a todos os animais e eles pertencem a Ele“Não te repreenderei pelos teus sacrifícios, ou holocaustos, de contínuo perante mim.   Da tua casa não tirarei bezerro nem bodes dos teus currais. Porque meu é todo animal da selva, e as alimárias sobre milhares de montanhas. Conheço todas as aves dos montes; e minhas são todas as feras do campo”; (Sl 50.8-11). Deus alimenta os Seus animais e lhes ouvem os clamores. “Quem prepara para os corvos o seu alimento, quando os seus pintainhos gritam a Deus e andam vagueando, por não terem que comer?”; (Jó 38.41). “Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta”; (Mt 6.26a). Deus cuida dos animais quando lhes chegam à hora do parto. “Sabes tu o tempo em que as cabras monteses têm os filhos, ou consideraste as dores das cervas? Contarás os meses que cumprem ou sabes o tempo do seu parto? Elas   encurvam-se, para terem seus filhos, e lançam de si as suas dores. Seus filhos enrijam, crescem com o trigo, saem, e nunca mais tornam para elas”; (Jó 39.1-4). Deus utiliza, Ele usa aos animais para dar exemplo ao homem. Um grande peixe engoliu e vomitou ao profeta Jonas. “Preparou, pois, o Senhor um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe”; (Jn 1.17). “Falou, pois, o Senhor ao peixe, e ele vomitou a Jonas na terra”; (Jn 2.10). Os corvos sustentaram ao profeta Elias. “E há de ser que beberás do ribeiro; e eu tenho ordenado aos corvos que ali te sustentem.Foi, pois, e fez conforme a palavra do Senhor; porque foi e habitou junto ao ribeiro de Querite, que está diante do Jordão. E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã, como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro”; (1 Rs 17.4-6). Um peixe carregou a moeda a qual Jesus e pedro pagaram o tributo. “E, chegando eles a Cafarnaum, aproximaram-se de Pedro os que cobravam as didracmas, e disseram: O vosso mestre não paga as didracmas? Disse ele: Sim. E, entrando em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra os tributos ou os impostos? Dos seus filhos, ou dos alheios? Disse-lhe Pedro: Dos alheios. Disse-lhe Jesus: Logo, estão livres os filhos. Mas, para que os não escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir e, abrindo-lhe a boca, encontrarás um estate (4 dracmas, 14.4 gramas de prata) ; toma-o, e dá-o por mim e por ti”; (Mt 17.24-27). Deus enviou um anjo ao qual ordenou aos leões que não comessem ao profeta Daniel. “O meu Deus enviou o seu anjo e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum”; (Dn 6.22). Deus fez a uma jumenta falar para alertar ao profeta Balaão. “Então, o Senhor abriu a boca da jumenta, a qual disse a Balaão: Que te fiz eu, que me espancaste estas três vezes? E Balaão disse à jumenta: Por que zombaste de mim; tomara que tivera eu uma espada na mão, porque agora te mataria. E a jumenta disse a Balaão: Porventura, não sou a tua jumenta, em que cavalgaste desde o tempo que eu fui  tua até hoje? Costumei eu alguma vez fazer assim contigo? E ele respondeu: Não”; (Nm 22.28-30). 

     Como estudamos, a natureza prefigura uma realidade vindoura superior e muito mais bela do que a atual. Os animais são criaturas amadas por Deus, eles respondem e obedecem a Sua voz. Não é necessário mais nada para comprovar que os animais fazem parte do plano de Deus para a Sua criação! Tanto para esta atual, como para os novos céus e a nova terra. Haverão homens que perecerão e serão condenados ao juízo eterno no Lago de Fogo e Enxofre, porém tal condenação não se aplica aos animais. Os quais não possuem juízo crítico e nem malícia e maldade da forma pela qual o homem intenta e executa.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.