E onde estão os nove?

15 de setembro de 2013

E onde estão os nove?


     “E aconteceu que, indo ele a Jerusalém, passou pelo meio de Samaria e da Galiléia; e, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe. E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos. E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz. E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano. E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou”; (Lc 17.11-19). 

     Nós falamos sempre de vitória, afinal quem não gosta de vencer? A Palavra nós garante como MAIS DO QUE VENCEDORES. Nós vivemos sempre tentando vencer em todas as areas de nossas vidas. O ser humano nasce com uma inclinação natural de ser vitorioso. Logo na nossa concepção já vencemos a 1ª corrida da vida. Ninguém tem a inclinação para perder, a não ser por um desvio psicótico, ou uma intervenção maligna. Eu nunca presenciei ou escutei uma pessoa argumentar: “Eu gosto de perder”. Ninguém é assim, pessoa nenhuma ou pessoa alguma pensa dessa maneira. Procuramos nós aperfeiçoarmos em áreas que gostamos para nos tornarmos melhores! Porque queremos vencer. Esta intenção não era diferente em relação a estes 10 homens. Eles viviam uma circustância totalmente contraria a realidade daquela época. Eram homens que por causa de uma fatalidade ficaram leprosos. 

     Ninguém quer ficar doente, mas as doenças são fatos, são reais. Ninguém entra na fila para ficar enfermo. Ao contrário, quando se tem uma epidemia, as pessoas entram na fila para receberem vacinas. A lepra era uma praga maldita associada ao pecado pelos Judeus. Ela trazia sobre a pessoa uma carga física e emocional. O leproso tinha que viver longe da convivência familiar, banido do convívio social. “E aconteceu que indo ele a Jerusalém, passou pelo meio de Samaria e da Galiléia”; (Lc 17.11)Ele passou no meio das duas regiões citadas. Estratégicamente no meio. Um dos leprosos era samaritano, os samaritanos e os judeus não se davam muito bem. A fatalidade trouxe algo em comum a esses 10 homens indepedente de suas etnias. Ou seja, eram todos leprosos e conviviam juntos. Pessoas que convivem juntas uma mesma situação se identificam entre si independentemente de qualquer coisa. “E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe”; (Lc 17.12). O segredo de se conseguir a vitória é saber a quem recorrer mediante ao problema. Esses 10 homens veêm a oportunidade de terem os seus problemas resolvidos. Afinal de conta não é sempre que Jesus passava por perto de onde eles estavam. Eles aproveitaram a oportunidade. A atitude destes 10 leprosos me chama a atenção! Não sei qual foi a estrategia  que eles tiveram. De certa forma eles receberam a noticia que Jesus passaria naquele lugar. Eles tomaram uma decisão, eu acredito também que não foi uma decisão facíl. Pois em um grupo sempre tem um que acende o fogo e tem outro que apaga o fogo. Um deve ter dito: “Não vamos aproximar da cidade lá não é o nosso lugar”. Outro deve ter dito: “Vamos sim, não podemos ficar neste estado”, “pior do que está não é possivél”. Eram 10 pessoas com temperamentos deferentes. A decisão de ir até Jesus não deve ter sido facil! Não deixe a oportunidade passar, (eu e você, nós não estamos com lepra), mas garanto que nós temos algum tipo de problema para ser resolvido. “E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós!”; (Lc 17.13). Imaginem 10 leprosos gritando ao mesmo tempo. Se os leprosos gritaram: “Jesus”. Os discípulos devem ter gritado: “Jesus mesmo!”. Eu gosto deste clamor “Mestre tem misericórdia de nós”. É um clamor de reconhecimento ao nosso estado impotente em relação aos nossos problemas e a Maestria de Jesus em solucioná-los. Nós deveriamos apresentar sempre desta forma diante de Deus! Tem muitas pessoas querendo gritar: Mestre me ajude! O que te impede de fazer isto? Tem pessoa que não gosta de assumir que ela precisa de ajuda! Eu não sei se é esta a sua reação, se for quebre o orgulho que te impedi de ser abençoado. Alguns dos leprosos deveriam estar com o nariz caindo, outros as orelhas, ou os labios. Mas eram todos leprosos. Um poderia ter dito: “O problema para mim não é tão serio como  o seu. Eu posso esperar ”. Nós temos que reconhecer que precisamos de ajuda! Em nossa casa, no casamento, criação de filhos, amizades, trabalho. Jesus faz novo todas às coisas! Jesus não faz reforma, ele refaz o fundamento. “E ele, vendo-os”; (Lc 17.14a). Jesus os vê! Eles não estavam tão perto de Jesus: “Os quais pararam de longe”; (Lc 17. 12c). Não estavam próximos Dele. Talvez pelo respeito à tradição da lei mosaica.“Ide e mostrai-vos aos sacerdotes”; (Lc 17.14b).  Jesus diz somente isso. Ide! Vai, faz alguma coisa, muda esta situação. Eu já determinei a sua vitória, faça a sua parte. Normalmente se ouve: “faz o milagre Jesus”. Mas não ocorre uma reação por parte da pessoa. Jesus quer te ajudar, mas você precisa também fazer alguma coisa. Nada acontece em sua vida sem a sua participação, nem mesmo milagre. Precisa ter o desejo, a vontade de melhorar a situação. Jesus esta te mandando ir, vai. 

     “E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos”; (Lc 17.14c). Esta passagem não é relatada nos outros Evangelhos. Mateus, Marcos e João não relatam a cura dos 10 leprosos. O Dr. Lucas é o único que relatou este ocorrido. Talvez pela otica médica do texto em questão! As questões sobre a cura, a forma como Jesus curava e cura fascina a medicina. O medico tem dentro dele a otica da ciência, a medicina fica surpreendida quando acontece uma cura fora da sua otica. Os 10 leprosos foram e ficaram limpos, Conforme voce recebe a Palavra, crê e caminha, as coisas vão acontecendo naturalmente. Jesus já te deu o comando, então obedeça. Vai e mude as situações! “E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz. E caiu aos seus pés, com o rosto em terra, dando-lhe graças; e este era samaritano”; (Lc 17.15,16). Acontece algo triste percentualmente falando! Somente 1 dos 10 voltou e deu glória a Deus. Quantos são abençoados e não voltam dando glória a Deus! Tem gente que se contenta com pouco e Deus quer realizar o muito. “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao Dia de Jesus Cristo”; (Fp 1.6). Dos 10 leprosos so um volta. So um foi curado? Não. Todos os 10 foram curados. E a intenção desse samaritano não foi de obrigação. A intenção dele foi de gratidão. Ele voltou gritando em alta voz e cheio de graça! Ele vivia longe do convívio familiar, isolado, sem identidade, sem um carinho verdadeiro. Ele não precisava ter voltado, poderia ter feito como os outros. Jesus mandou ir, não disse nada sobre voltar! “E, respondendo Jesus, disse: Não foram dez os limpos? E onde estão os nove? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?”; (Lc 17.17,18). A mulher adoradora do poço de Jacó era samaritana, o homem que descia de Jerusalem e socorreu o aquele que caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, espancaram, e o deixaram meio morto, era samaritano. Este samaritano voltou. Pessoas orgulhosas não voltam atrás. Se você consegue clamar pela sua vitória, também tem que saber retornar para agradecer! “E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou”; (Lc 17.19). Sabe por que vale a pena voltar para agradecer? Quando você volta para agradecer Deus te acrescenta mais! Ele estava somente curado. Agora ele alcançou a salvação. A cura do corpo é temporal, afinal o corpo voltará ao pó. Os outros 9 que não voltaram, talvez foram curados somente da lepra. So tiveram os seus problemas resolvidos. Mas esse que voltou recebeu algo mais. Jesus quer te abençoar, curar. Mas o desejo maior de Jesus é que você obtenha a vida eterna. 

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.