Tu, pois, deveras reinarás sobre nós?

15 de fevereiro de 2016

Tu, pois, deveras reinarás sobre nós?


   “E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores. Vendo, pois, seus irmãos que seu pai amava mais do que a todos os seus irmãos, oborreceram-no, e não podiam falar com ele pacificamente. Sonhou também José um sonho, que contou a seus irmãos; porisso, o aborreciam ainda mais. E disse-lhes: Ouvi, peço-vos, este sonho, que tenho sonhado:   Eis que estávamos atando molhos no meio do campo, e eis que o meu molho se levantava e também ficava em pé, e eis que os vossos molhos o rodeavam e se inclinavam ao meu molho. Então, lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso, tanto mais o aborreciam por seus sonhos e por suas palavras”; (Gn 37.3-8).

    Os irmãos de José tiveram inveja dele, pois Jacó amava-o mais do que a todos eles. Este amor era tão grande que Jacó fez para José uma túnica de várias cores, uma túnica de destaque. Essa túnica incomodou bastante aos seus irmãos. Entenda que a unção de Deus que te reveste incomoda a muita gente! “Seus irmãos, pois, o invejavam”; (Gn 37.11). Eles tinham inveja de José. O que é inveja? Inveja é desgosto ou pesar pelo bem ou pela felicidade de outrem. Desejo violento de possuir o bem ou a situação alheia. Deus deu sonhos a José, sonhos que revelavão o seu próprio futuro e isso foi de mais para os seus irmãos, que tamanha inveja entrou nos seus corações. José foi vendido para os Ismaelitas por 20 moedas de prata, os quais o  levaram ao Egito. Os seus irmãos para explicarem ao seu pai, que José havia “morrido” montaram uma armadilha.  

O que e armadilha? Logro astucioso, embuste, esparrela, estratagema, cilada preparada para surpreender alguém. Rubens, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser Issacar e Zebulom (Benjamim ainda não era nascido), iniciaram a  armadilha contra a vida de Jose! “E aconteceu que, chegando José a seus irmãos, tiraram a José a sua túnica, a túnica de várias cores, que trazia. E tomaram-no e lançaram-no na cova; porém a cova estava vazia, não havia água nela. Depois, assentaram-se a comer pão, e levantaram os olhos, e olharam, e eis que uma companhia de ismaelitas vinha de Gileade; e seus camelos traziam especiarias, e bálsamo, e mirra; e iam levar isso ao Egito. Então, Judá disse aos seus irmãos: Que proveito haverá em que matemos a nosso irmão e escondamos a sua morte? (o seu sangue; outras traduções)”; (Gn 37.23-26).

     A justificação premeditada dos irmãos de José. E agora como nós vamos explicar isso ao nosso pai Jacó? Vamos criar uma forma, uma maneira de que o nosso pai, acredite que  José realmente morreu! O que nos  faremos? Eles chegaram a uma conclusão, vamos fazer assim: (1) Vamos tomar a túnica de Jose. (2) Vamos pegar um cabrito. (3) Vamos matar esse cabrito. (4) Vamos  tingir a túnica de Jose. (5) Com o sangue desse cabrito. “Então, tomaram a túnica de José, e mataram um cabrito, e tingiram a túnica no sangue”; (Gn 37.31). Chegaram a uma conclusão! Quando o nosso pai Jacó ver o sangue na túnica de José, logo acreditará que um animal o devorou. Porém para que? Para única e exclusivamente justificar, encobrir e esconder a maldade que eles cometeram contra a vida do seu próprio irmão. Ou seja eles premeditaram. O que é premeditar? É resolver com antecipação e refletidamente, planejar. Planejar o que? Planejar dar o golpe em Jacó. O que e golpe? Manobra desonesta, com o fim de enganar, prejudicar. “E enviaram a túnica de várias cores, e fizeram levá-la a seu pai, e disseram: Temos achado esta túnica; conhece agora se esta será ou não a túnica de teu filho”; (Gn 37.32). Observação: Eles quando enviaram a túnica não contaram nenhuma história (para se justificar). Eles simplesmente mostraram a túnica a Jacó,  Jacó quando a viu tingida de sangue logo concluiu, deduziu que uma besta fera havia devorado a José, conforme o pré-meditado. Jacó reconheceu a tunica“E conheceu-a e disse: É a túnica de meu filho; uma besta-fera o comeu, certamente foi despedaçado José”; (Gn 37.33). O poder que aquele sangue produziu nos olhos de Jacó, foi o suficiente para que Jacó considerasse aquilo como sendo um fato, uma realidade. Jacó realmente acreditou  que Jose havia sido devorado pela besta-fera. Porém! Existe um detalhe! O sangue que estava naquela túnica era de verdade, porem era de cabrito! Não era o sangue de José. José estava vivo!  O sangue justifica. O que e justificar? Demonstrar ou provar a inocência de; Tornar justo; reabilitar. Provar em juízo. Legitimar, desculpar: Dar razão a; fundamentar. Demonstrar, provar. Aquele sangue de animal justificou a ação deles. A consequencia dessa mentira na vida de Jacó. “Então, Jacó rasgou as suas vestes, e pôs pano de saco sobre os seus lombos, e lamentou a seu filho muitos dias”; (Gn 37.34).

     Jacó viveu mais ou menos 27 anos dentro de uma mentira achando que era uma verdade. José tinha 17 anos quando apascentava ovelhas com os seus irmãos. “Estas são as gerações de Jacó: Sendo José de dezessete anos”; (Gn 37.2). José tinha 30 anos quando foi eleito governador por faraó. “E José era da idade de trinta anos quando esteve diante da face de Faraó”; (Gn 41.46). Vieram 7 anos de fartura; (Gn 41.47). E depois 7 anos de fome; (Gn 41.54). Matemática: 30-17=13+7+7=27. Existem muitas pessoas achando que elas estão vivendo uma verdade, porem estão dentro de uma mentira! Porque? Porque foi lhes mostrado uma prova de sangue. Talvez você esteja hoje como Jacó! Durante muito tempo te mostraram uma prova cabal, satisfatória. Você com a tua mente concluiu que era verdade, porém é uma mentira, é sangue de cabrito. Deus esta trazendo a luz para tua vida neste momento!  Essa questão, pode não ser verdade, alguém pode estar querendo te roubar os teus direitos e esta colocando sangue de animal para te enganar! Roubar a tua herança, destruir o teu casamento, te tirar o teu trabalho, te tirar da igreja. Estão criando algum indicio de verdade! Porem é sangue de cabrito. O Senhor quer te trazer a tona à verdade, te libertar da mentira do diabo. “Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau”; (Ec 12.14).

     “Portanto, não os temais, porque nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de saber-se”; (Mt 10.26). Existem muitas pessoas colocando sangue de cabrito para se justificarem, pois o sangue justifica! A grande questão e que o diabo arma uma cilada tão bem feita que a evidencia é de sangue, porem sangue de cabrito. Então se passou muito tempo que Jacó estava vivendo naquela mentira, que quando foi lhe falado a verdade, ele não acreditou. “E subiram do Egito e vieram à terra de Canaã, a Jacó, seu pai. Então, lhe anunciaram, dizendo: José ainda vive e ele também é regente em toda a terra do Egito. E o seu coração desmaiou, porque não os acreditava”; (Gn 45.25,26). Somente uma grande verdade pode acabar com uma mentira. “Porém, havendo-lhe eles contado todas as palavras de José que eles lhes falará, e vendo ele os carros que José enviara para levá-lo, reviveu o espírito de Jacó, seu pai”; (Gn 45.27). Quando Jacó viu a 2ª Carruagem de Faraó, que ele deu para Zafenate-Paneia; O Salvador do Mundo, pararem na porta da sua tenda, ele entendeu que realmente José estava vivo. “E disse Israel: Basta; ainda vive meu filho José; eu irei e o verei antes que eu morra”; (Gn 45.28). Não foi Jacó que disse basta! Foi Israel! Ocorreu, aconteceu uma mudança, pois Jacó e Israel são a mesma pessoa. Jacó sofreu 27 anos a perda de um filho como Jacó, mas deu um basta como Israel! Basta de mentiras em tua vida. José esta vivo. Os seus sonhos, objetivos, projetos e metas estão vivos.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.