E foi tomada a Arca de Deus?

15 de fevereiro de 2013

E foi tomada a Arca de Deus?


     “Então, pelejaram os filisteus, e Israel foi ferido, e fugiram, cada um para a sua tenda; e foi tão grande o estrago, que caíram de Israel trinta mil homens de pé. E foi tomada a arca de Deus: e os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, morreram”; (1 Sm 4.10,11)

     O povo ficou envergonhado e desapontado, foram derrotados. A nação de Israel perdeu a batalha e a arca foi levada cativa pelos filisteus. O sacerdote Eli e o seu sistema religioso foram julgados. O sacerdote Eli representava a tradição religiosa: velho, sem autoridade, sentado, sem visão e sem compreensão. O sacerdote Eli e toda a sua casa estavam sendo eliminados e outro sacerdote estava sendo estabelecido em seu lugar, o sacerdote Samuel. “E disse o Senhor a Samuel: Eis aqui vou eu a fazer uma coisa em Israel, a qual todo o que ouvir lhe tinirão (soar alto, som agudo e forte) ambas as orelhas. Naquele mesmo dia (o dia da tomada da arca pelos filisteus) suscitarei contra Eli tudo quanto tenho falado contra a sua casa, começá–lo-ei e acabá-lo-ei. Porque já eu lhe fiz saber que julgarei a sua casa para sempre, pela iniqüidade que ele bem conhecia, porque, fazendo-se os seus filhos execráveis (detestados, abominados, amaldiçoados), não os repreendeu. Portanto, jurei à casa de Eli que nunca jamais será expiada a iniqüidade da casa de Eli com sacrifício nem com oferta de alimentos. E Samuel ficou deitado até pela manhã e, então, abriu as portas da Casa do Senhor; porém temia Samuel relatar esta visão a Eli. Então, chamou Eli, a Samuel e disse: Samuel, meu filho. E disse ele: Eis-me aqui. E ele disse: Que palavra é a que te falou? Peço-te que ma não encubras; assim Deus te faça e outro tanto se me encobrires alguma palavra de todas as palavras que te falou. Então, Samuel lhe contou todas aquelas palavras e nada lhe encobriu. E disse ele: É o Senhor; faça o que bem parecer aos seus olhos. E crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra. E todo o Israel, desde Dã até Berseba, conheceu que Samuel estava confirmado por profeta do Senhor. E continuou o Senhor a aparecer em Siló; porquanto o Senhor se manifestava a Samuel em Siló pela palavra do Senhor”; (1 Sm 3.11-21). 

     Os filhos do sacerdote Eli, Hofni e Finéias morreram conforme a palavra do Senhor. Deus deu um basta na casa do Sacerdote Eli. E levantou ao jovem Samuel como sacerdote em seu lugar. Deus foi misericordioso e deu a oportunidade de arrependimento. Mas os filhos de Eli, Hofni e Finéias não se arrependeram, então Deus cumpriu a Sua palavra. No amor de Deus, esta a Sua justiça. Mas porque a arca foi tomada? E ainda por cima colocada no templo dos filisteus diante de Dagom? Por mais que os israelitas não entendessem, o propósito de Deus era derrotar Dagom, e destruir os irreverentes. É muito difícil compreender isto em plena derrota. Por mais que não possamos entender ou admitir, Deus nunca entra em uma batalha para ser derrotado. Deus tem as Suas estratégias. Muitas vezes nos esquecemos de louvar a Deus em plena aflição, porque não temos a visão do final da batalha. Quem poderia dizer que a arca sairia vitoriosa do templo de Dagom? Ninguém creria se antes fosse anunciado. Para Deus começar a construir, 1º Ele destrói o velho sistema. Deixa tudo sem a mesma raiz para estabelecer um novo céu e uma nova terra. Se nós quisermos ver Deus atuando para estabelecer uma nova vida, um novo início, os principados devem sair, toda maldição deve ser tirada. O primeiro deve ser destituído para que o segundo seja estabilizado para sempre. Aprenda algo! Em tudo, Deus sempre tem um propósito. “Porque todas quantas promessas há de Deus, são nele sim; e por ele o Amém, para glória de Deus, por nós”; (2 Co 1.20). Ele é o sim, mas nós estabelecemos o amém. A arca não estava derrotada, por mais que o povo a visse de outra forma, de outra maneira. Quando o Pai viu a seu Filho totalmente desamparado, foi difícil para Ele. Mesmo assim o Pai preferiu ver tudo aquilo, o sangue, os cravos e a cruz, de outra maneira, se Jesus não tivesse morrido, nós não teríamos nascido. do Espírito para o Pai. Os filisteus consideraram a vitória muito simples e fácil. Eles haviam tomado possessão de um dos mais preciosos símbolos da nação de Israel. Os filisteus como eram idolatras por natureza, pensavam que havia sido o próprio Deus de Israel a quem eles haviam vencido. A arca era o tipo de Cristo. Os filisteus não poderiam imaginar o que havia de passar, de acontecer com eles. Deus aparentemente se deixou vencer para avançar ao campo do inimigo. A glória aparentemente tinha ido. Hofni e Finéias haviam sido mortos, mas os filisteus tinham o premio da sua aparente vitória. A arca foi introduzida dentro do templo de Dagom. Deus esperava por isso há muitos anos. Que duro foi para Nicodemos, José de Arimatéia terem depositado o corpo do homem que havia dito “Lazaro sai para fora”. Aqueles que viram aquele homem curar enfermos, ressuscitar mortos, como eles não se sentiam. Lá estava a sepultura. A arca do concerto tipificação da presença de Cristo foi colocada no templo de Dagom. A alma de Cristo foi ao Hades. A morte pensou que poderia conter a Cristo, mas ela foi vencida. Um dos grandes propósitos de Deus é o de ir à raiz de tudo. Vencer aos filisteus somente não era tudo o que Deus queria. Ele queria derrotar definitivamente o inimigo. Ele quiz triunfar sobre ele em sua própria casa. A arca alcançou vitória sobre o deus Dagom dos filisteus. Jesus venceu a Satanás!

     “Os filisteus, pois, tomaram a arca de Deus e a trouxeram de Ebenézer a Asdode.  E tomaram os filisteus a arca de Deus, e a meteram na casa de Dagom, e a puseram junto a Dagom. Levantando-se, porém, de madrugada os de Asdode, no dia seguinte, eis que Dagom estava caído com o rosto em terra, diante da arca do Senhor; e tomaram a Dagom, e tornaram a pô-lo no seu lugar. E, levantando-se de madrugada no dia seguinte, pela manhã, eis que Dagom jazia caído com o rosto em terra, diante da arca do Senhor; e a cabeça de Dagom e ambas as palmas das suas mãos, cortadas sobre o limiar; somente o tronco ficou a Dagom. Pelo que nem os sacerdotes de Dagom, nem nenhum de todos os que entram na casa de Dagom pisam o limiar de Dagom em Asdode, até ao dia de hoje. Porém a mão do Senhor se agravou sobre os de Asdode, e os assolou, e os feriu com hemorróidas, a Asdode e aos seus termos. Vendo, então, os homens de Asdode que assim era, disseram: Não fique conosco a arca do Deus de Israel; pois a sua mão é dura sobre nós e sobre Dagom, nosso deus. Pelo que enviaram, e congregaram a si todos os príncipes dos filisteus, e disseram: Que faremos nós da arca do Deus de Israel? E responderam: A arca do Deus de Israel dará volta a Gate. Assim, a rodearam com a arca do Deus de Israel. E sucedeu que, desde que a rodearam com ela, a mão do Senhor veio contra aquela cidade, com mui grande vexação; pois feriu os homens daquela cidade, desde o pequeno até ao grande; e tinham hemorróidas nas partes secretas. Então, enviaram a arca de Deus a Ecrom. Sucedeu, porém, que, vindo a arca de Deus a Ecrom, os de Ecrom exclamaram, dizendo: Transportaram para nós a arca do Deus de Israel, para nos matarem, a nós e ao nosso povo. E enviaram, e congregaram a todos os príncipes dos filisteus, e disseram: Enviai a arca do Deus de Israel, e torne para o seu lugar, para que não mate nem a nós nem ao nosso povo. Porque havia mortal vexação em toda a cidade, e a mão de Deus muito se agravara ali. E os homens que não morriam eram tão feridos com hemorróidas, que o clamor da cidade subia até o céu”; (1 Sm 5.1-12). 

     A presença da arca em Asdode no templo de Dagom foi uma vergonha, um vexame para os filisteus, eles desprezaram a arca do Concerto. A presença da arca trouxe julgamento entre eles. Os filisteus estavam perecendo, morrendo com hemorróidas em suas partes íntimas. Não se coloca nenhum ídolo acima do Senhor. A arca no templo de Dagom foi o tipo, a ida de Jesus ao Hades foi o antítipo. A arca no templo de Dagom foi uma Tipologia de Cristo no ministério de Sua morte. A aparente derrota de Cristo ao morrer na Cruz do Calvário, e ir ao Hades se transformou em vitória ao resgatar os justos. Quando Cristo deixou o Hades, Ele não saiu de lá sozinho, Ele levou cativo o cativeiro. Ele levou todo o “Paraiso”, o “Seio de Abraão” a presença do Pai. “Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. Ora, isto --- ele subiu --- que é, senão que também, antes, tinha descido às partes mais baixas da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas”; (Ef 4.8-10). A arca (Tipologia de Jesus) esteve nas mãos dos inimigos filisteus (Tipologia de Satanás e seus demônios), mas voltou (Tipologia da ressurreição) para a sua terra (Tipologia do céu). Os filisteus estavam sofrendo as conseguências da pesada mão do Senhor sobre eles. Então eles tomaram uma decisão, resolveram devolver a arca, porque Deus os castigava de uma maneira sobrenatural, eles estavam morrendo. Nas mãos de Seus inimigos a presença da arca tornou-se maldição para eles. “Então, enviaram a arca de Deus a Ecrom. Sucedeu, porém, que, vindo a arca de Deus a Ecrom, os de Ecrom exclamaram, dizendo: Transportaram para nós a arca do Deus de Israel, para nos matarem, a nós e ao nosso povo. E enviaram, e congregaram a todos os príncipes dos filisteus, e disseram: Enviai a arca do Deus de Israel, e torne para o seu lugar, para que não mate nem a nós nem ao nosso povo. Porque havia mortal vexação em toda a cidade, e a mão de Deus muito se agravara ali”; (1 Sm 5.11). Mesmo quando esteve entre os inimigos de Israel, entre os filisteus, a arca os fizeram sofrer muito. As aflições se agravaram muito através dos tumores de hemorróidas em suas partes secretas, com um mortal vexame. Jesus não esteve no Hades para pregar a salvação, e sim sentença de Juízo no lugar de tormento. A arca não foi a Asdode para considerar os filisteus como amigos. Ela esteve lá para manifestar de uma maneira sobrenatural o seu poder.  

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.