O que faremos nós da Arca de Deus?

15 de março de 2013

O que faremos nós da Arca de Deus?

   
     “Havendo, pois, estado a arca do Senhor na terra dos filisteus sete meses, os filisteus chamaram os sacerdotes e os adivinhadores, dizendo: Que faremos nós da arca do Senhor? Fazei-nos saber como a tornaremos a enviar ao seu lugar. Os quais disseram: Se enviardes a arca do Deus de Israel, não a envieis vazia, porém sem falta lhe enviareis uma oferta para a expiação da culpa; então, sereis curados, e se vos fará saber por que a sua mão se não tira de vós. Então, disseram: Qual é a expiação da culpa que lhe havemos de oferecer? E disseram: Segundo o número dos príncipes dos filisteus, cinco hemorróidas de ouro e cinco ratos de ouro; porquanto a praga é uma mesma sobre todos vós e sobre todos os vossos príncipes. Fazei, pois, umas imagens das vossas hemorróidas e as imagens dos vossos ratos, que andam destruindo a terra, e dai glória ao Deus de Israel; porventura aliviará a sua mão de cima de vós, e de cima do vosso deus, e de cima da vossa terra. Por que, pois, endureceríeis o coração, como os egípcios e Faraó endureceram o coração? Porventura depois de os haverem tratado tão mal, não os  deixaram ir, e eles não se foram? Agora, pois, tomai, e fazei-vos um carro novo, e tomai duas vacas que criem, sobre as quais não tenha subido o jugo, e atai as vacas ao carro, e levai os seus bezerros de após elas para casa. Então, tomai a arca do Senhor, e ponde-a sobre o carro, e metei num cofre, ao seu lado, as figuras de ouro que lhe haveis de oferecer em expiação da culpa; e assim a enviareis, para que se vá. Vede então: Se subir pelo caminho do seu termo a Bete-Semes, foi ele quem nos fez este grande mal; e, se não, saberemos que não nos tocou a sua mão, e que isso nos sucedeu por acaso. E assim fizeram aqueles homens, e tomaram duas vacas que criavam, e as ataram ao carro, e os seus bezerros encerraram em casa. E puseram a arca do Senhor sobre o carro, como também o cofre com os ratos de ouro e com as imagens das suas hemorróidas. Então, as vacas se encaminharam diretamente pelo caminho de Bete-Semes, e seguiam um mesmo caminho, andando e berrando, sem se desviarem, nem para a direita nem para a esquerda; e os príncipes dos filisteus foram atrás delas, até ao termo de Bete-Semes”; (1 Sm 6.1-12). 

     Após um período de sete meses de intenso sofrimento e aflições, os filisteus resolveram devolver a arca do concerto, a presença de Deus ao povo de Israel. Os filisteus enviaram a arca do concerto do Senhor para fora do limiar, dos limites de suas terras. Mas, eles não devolveram  a arca de Deus vazia, Eles a enviaram de volta com algo especial, com uma oferta pela culpa. Os filisteus apresentaram as suas ofertas. Deus foi glorificado pelo inimigo. Cada príncipe filisteu fez a sua parte. A arca saiu vitoriosa, ratos e hemorróidas de ouro significam que a experiência, apesar de as vezes ser feia nos traz o memorial do ensino na vida, uma boa lição! A arca chegou à cidade de Bete Semes, com a oferta pela culpa oferecida pelos filisteus. “E andavam os de Bete-Semes fazendo a sega do trigo no vale e, levantando os olhos, viram a arca; e, vendo-a, se alegraram. E o carro veio ao campo de Josué, o bete-semita, e parou ali; e ali estava uma grande pedra; e fenderam a madeira do carro, e ofereceram as vacas ao Senhor em holocausto. E os levitas desceram a arca do Senhor, como também o cofre que estava junto a ela, em que estavam as obras de ouro, e puseram-nos sobre aquela grande pedra; e os homens de Bete-Semes ofereceram holocaustos e sacrifícios ao Senhor no mesmo dia. E, vendo aquilo os cinco príncipes dos filisteus, voltaram para Ecrom no mesmo dia. Estas, pois, são as hemorróidas de ouro que enviaram os filisteus ao Senhor em expiação da culpa: por Asdode uma, por Gaza outra, por Asquelom outra, por Gate outra, por Ecrom outra. Como também os ratos de ouro, segundo o número de todas as cidades dos filisteus, pertencentes aos cinco príncipes, desde as cidades fortes até às aldeias, e até Abel, a grande pedra sobre a qual puseram a arca do Senhor, que ainda está até ao dia de hoje no campo de Josué, o bete-semita”; (1 Sm 6.13-18). 

     A arca não regressou vazia para a cidade de Bete-Semes, no território de Judá. Deus aceitou o valor da oferta, não importava o formato em que o ouro estava. A oferta de expiação pela  culpa estabelecida foi o de 5 hemorróidas de ouro e 5 ratos de ouro para cada príncipe. Eram 5 os príncipes, foram portanto 25 imagens de ratos e 25 imagens de hemorróidas. A arca retornando, voltando com oferta para Israel, é um tipo do Cristo vitorioso, quando Ele ressuscitou e voltou ao Pai levando cativo o cativeiro. A arca (Jesus) esteve na terra dos filisteus, na casa do inimigo, venceu-o e saiu de lá com uma oferta. Mas, os habitantes da cidade de Bete-Semes não compreenderam a vitória, não quiseram ficar com a presença do Senhor, tipificada na presença da arca, e fizeram o que não deviam. Eles  olharam para o interior dela. Olharam para dentro da arca! “E feriu o Senhor os homens de Bete-Semes, porquanto olharam para dentro da arca do Senhor; até ferir do povo cinqüenta mil e setenta homens; então o povo se entristeceu, porquanto o Senhor fizera tão grande estrago entre o povo. Então, disseram os homens de Bete-Semes: Quem poderia estar em pé perante o Senhor, este Deus santo? E a quem subirá desde nós? Enviaram, pois, mensageiros aos habitantes de Quiriate-Jearim, dizendo: Os filisteus remeteram a arca do Senhor; descei, pois, e fazei-a subir para vós”; (1 Sm 6.19-21).  Sem santificação e consagração, não se toca e nem se olha para o seu interior, se não morre! A não ser alguns poucos escolhidos aos quais Deus permitiu a eles terem olhado e tocado!  

     “Havendo, pois, Arão e seus filhos, ao partir do arraial, acabado de cobrir o santuário, e todos os instrumentos do santuário, então os filhos de Coate virão para    levá-lo; mas no santuário não tocarão para que não morram; este é o cargo dos filhos de Coate na tenda da congregação. Porém o cargo de Eleazar, filho de Arão, o sacerdote, será o azeite da luminária, e o incenso aromático, e a contínua oferta dos manjares, e o azeite da unção, o cargo de todo o tabernáculo e de tudo que nele há, o santuário e os seus móveis. E falou o Senhor a Moisés e a Arão, dizendo: Não deixareis extirpar a tribo das gerações dos coatitas do meio dos levitas. Mas isto lhes fareis, para que vivam e não morram, quando chegarem a santidade das santidades Arão e seus filhos virão e a cada um porão no seu ministério e no seu cargo, Porém não entrarão a ver, quando cobrirem o santuário, para que não morram”; (Nm 4.15-20). Tipologia de Cristo ao aproximarmos e tentarmos entender ao Senhor com a nossa mente humana natural e carnal. De Bete-Semes, cidade da fronteira entre os territórios das tribos de Judá e de Dã. Embora tivesse sido possessão da tribo de Dã, Bete-Semes pertencia a Judá. Os seus habitantes enviaram a arca a Quiriate-Jearim, cidade também do território de Judá. “Então, vieram os homens de Quiriate-Jearim, e levaram a arca do Senhor, e a trouxeram à casa de Abinadabe, no outeiro; e consagraram a Eleazar, seu filho, para que guardasse a arca do Senhor. E sucedeu que, desde aquele dia, a arca ficou em Quiriate-Jearim, e tantos dias se passaram, que chegaram até vinte anos, e lamentava toda a casa de Israel após o Senhor”; (1 Sm 7.1,2). Durante todo o período de tempo do reinado de Saul a arca ficou esquecida, negligenciada, a arca permaneceu, ela ficou na obscuridade aos cuidados de Eleazar, filho de Abinadabe. Saul não deu importância para ela, a devida atenção para a presença da arca. Não se pode reinar, não se obtem êxito sem a presença de Jesus. É o mesmo que se auto derrotar. Uma Tipologia de quem se esquece da presença de Deus, esta determinando o seu próprio fracasso. Sem a presença de Deus, nenhum homem, organização ou reino se subsiste! 

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.