Tu eras querubim ungido? O aferidor da medida?

15 de setembro de 2012

Tu eras querubim ungido? O aferidor da medida?

     

    “Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Jeová: Tu és o aferidor da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estavas no Éden, jardim de Deus; toda pedra preciosa era a tua cobertura: a sardônia, o topázio, o diamante, a turquesa, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo, a esmeralda e o ouro; a obra dos teus tambores e dos teus pífaros estava em ti; no dia em que foste criado, foram preparados. Tu eras querubim ungido para proteger, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti”; (Ez 28.12-15).

     O aferidor (aquele que afere; instrumento para aferir). Ele não usava instrumentos para aferir. Ele era o próprio instrumento de aferição. Medida (modelo padrão). Lúcifer, do latim Lux Fero; “Estrela da Manhã”, “Filho da Alva”, outra variante “Filho da Honra”. Em hebraico, Heilel Ben-Shahar; הילל בן שחר, “Anjo de Luz” ou “Luzeiro”. Em grego na Septuaginta, Heosphoros; “O que leva a luz" ou "O portador de luz”, Lúcifer era o modelo, o luzeiro, o exemplo de perfeição diante de todos os seres angelicais. Algumas traduções utilizam a palavra “sinete” em vez de aferidor, é o mesmo significado. Sinete: Assinatura, brasão, carimbo, marca, padrão de algo ou alguma coisa criada.  O pecado não teve a sua origem, o seu início aqui na terra. 

Se quisermos conhecer a origem do pecado, teremos de ir além da queda do homem, e por a nossa atenção em algo que aconteceu na Eternidade, na presença de Deus e dos Seus exércitos angelicais. Deus criou os anjos dotados de perfeição, porém, Lúcifer e 1/3 deles se rebelaram contra Deus, pelo que caíram em terrível condenação. Passaram a estar debaixo de um juízo conhecido como “o estado de maldade”. O primeiro pecado foi cometido no Céu, em um ambiente perfeito e eternoAssim sendo a fim de compreender a sua origem, realidade e natureza. Devemos analisar primeiro a este princípio, que ocorreu na Eternidade, e depois na terra. A origem do pecado é Satanás! “Vós tendes por pai ao diabo e queries satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade…”; (Jo 8.44a). “Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo”; (1 Jo 3.8). O diabo, Satanás “Lúcifer” foi o primeiro ser, a primeira “pessoa” responsável pelo primeiro pecado. Satanás tem uma alma, que contém uma personalidade, um caráter, um intelecto, uma vontade e um sentimento. Portanto ele é considerado uma pessoa, um ser espiritual, pois ele não tem (ainda) um corpo físico. Satanás é uma pessoa espiritual. O 1º pecado ocorreu na presença de Deus, isto, aconteceu na Eternidade (Kairos). Não há, não existe uma explicação racional para o surgimento do pecado. Como entender que um ser perfeito, na presença de um Deus perfeito, em um ambiente de perfeição, pudesse gerar idéias de descontentamento, contestação, rebelião e pecar contra o seu próprio Criador. “Na multiplicação do teu comércio se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, ó querubim protetor, entre pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu a ti, e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste e nunca mais serás para sempre”; (Ez 28.16-19). Lúcifer pecou no passado da Eternidade. 

A Eternidade (kairós) é composta de três dimensões; Era, É e Há de vir. A dimensão “É” que é o presente da Eternidade, esta contido o passado, presente e futuro do homem. Deus se move no “É”, o presente da Eternidade. Deus não se move no tempo do homem, é muito pequeno e limitado para Ele. “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso”; (Ap 1.8). Entenda que o “É” é o presente da Eternidade, nela esta contida o tempo terreno. O “Era” foi o passado da Eternidade, a queda de Lúcifer e 1/3 dos anjos. O “Há de vir” é o futuro da Eternidade, a consumação de todas as coisas. A diferença entre Eternidade de Deus e o tempo (chronos) do homem é de 1 por 1000. “Porque mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem que passou, e como a vigília da noite”; (Sl 90.4). “Mas, amados, não ignoreis uma coisa: que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia”; (2 Pe 3.8). Esta comporação é somente para o nosso raciocinio de entendimento humano. Afinal, Eternidade é Eternidade, não existe comparação de período e espaço para algo que é eterno! Qual foi o pecado de Satanás? “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, e, acima das estrelas de Deus, exaltarei o meu trono, e, no monte da congregação, me assentarei, da banda dos lados do Norte. Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo”; (Is 14.12-14). EU SUBIREI AO CÉUSatanás se referi a uma posição de destaque acima da que ele já possuía. Ele já estava acima das estrelas de Deus. Ele desejava ter um trono no monte original de Deus. As estrelas de Deus referem-se aos exércitos angélicos. “Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?”; (Jó 38.7). “E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho”; (Ap 12.4). O desejo de assegurar o domínio sobre os anjos é assim expresso. O nome Lúcifer veio da tradução latina da Bíblia, a Vulgata; o seu significado é “estrela da manhã, filho da alva”. Satanás é assim chamado antes da sua queda. SUBIREI ACIMA DAS MAIS ALTAS NUVENS E SEREI SEMELHANTE AO ALTÍSSIMO - Lúcifer queria possuir uma glória igual à de Deus, este era o seu desejo posicional máximo. Ele não aumejava ser maior do que Deus, e sim igual. Todas estas declarações expressam independência e oposição a Deus, uma ambição deliberada contra Ele. Como o pecado pôde entrar nesse ser perfeito? Como isso pôde acontecer em um ambiente perfeito e eterno? A resposta é: Independência de Deus. Lúcifer foi lançado para fora da Eternidade de Deus. Ele veio para a terra, trazendo junto com ele o estado do pecado, e com esta maldição ele conseguiu contaminar ao homem.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.