Como foi o nascimento de Jesus?

15 de dezembro de 2015

Como foi o nascimento de Jesus?



     “Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. Então, José, seu marido, como era justo e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isso, eis que, em sonho, lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo. E ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel. (Emanuel  traduzido é: Deus conosco). E José, despertando do sonho, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher, e não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus”; (Mt 1.18-25). 

     Detalhes, os quais são necessários para a compreensão dessa passagem bíblica! De acordo, segundo a tradição judaica, o enlace matrimonial acontece, realiza-se em três estágios: (1) SHIDUCHIN – A escolha, a promessa; (namoro). (2) ERUSIN – A oficialização, o desposamento; (noivado). (3) NISSUIN – As bodas e a ceia;(casamento). Maria estava na fase do desposamento. “Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem...”; (Mt 1.18). Duas dessas três fases já aconteceram entre Cristo e a Igreja. A promessa foi feita antes da fundação do mundo”E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”; (Ap 13.8).  

     O despojamento ocorreu na cruz, o noivo teria que preparar um lugar para receber a esposa. “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também”; (Jo 14.1-3). Restando somente a última fase que são as bodas (7 dias de festas). A entrega total de José em relação à gravidez de Maria e o nascimento de Jesus. José não usufruiu da virgindade de sua esposa. José não teve o privilegio de dar nome ao seu filho. José não  teve  uma noite de nupcia com a sua esposa. José teve o privilégio de carregar Jesus em seus braços. José teve o privilégio de levar Jesus para ser circuncidado. José teve o privilégio de ensinar Jesus à obediência. “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do Oriente (letra maiúscula) a Jerusalém, e perguntaram: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente (letra maiúscula), e viemos a adorá-lo”; (Mt 2.1,2). “E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a estrela que tinham visto no Oriente, (letra maiúscula) ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino. E, vendo eles a estrela, alegraram-se muito com grande júbilo. E, entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram dádivas: ouro (o  mais brilhante dos minerais, riquezas, tipificação da glória), incenso (tipificação de louvor e adoração) e mirra (tipificação da graça e de unção)”; (Mt 2.9-11). Os magos (reis, astrólogos vieram do Oriente). Naquela época, o termo mago e astrólogo não tinha nenhuma conotação com magia e astrologia como é agora, e sim com Medicina, Matemática, e Ciências. Eles não eram persas,(o atual Irã) segundo alguns historiadores. Eles vieram para presentearem a Jesus. Eles aprenderam com o seu pai Abrãao a unção de dar presentes! Japão, China, Coreia são semente de Abraão! “E Abraão tomou outra mulher; e o seu nome era Quetura. E gerou-lhe Zinrã, e Jocsã, e Medã, e Midiã, e Isbaque, e Suá. E Jocsã gerou a Seba e a Dedã; e os filhos de Dedã foram Assurim, e Letusim, e Leumim. E os filhos de Midiã foram Efá, e Efer, e Enoque, e Abida, e Elda; estes todos foram filhos de Quetura. Porém Abraão deu tudo o que tinha a Isaque. Mas, aos filhos das concubinas que Abraão tinha, deu Abraão presentes e, vivendo ele ainda, despediu-os do seu filho Isaque, (enviando-os, em outras traduções) ao Oriente, (letra maiúscula) para a terra oriental”; (Gn 25.1-6). 

     Abraão ensinou os seus filhos. A semente de Abraão oriental volta para reconhecer e adorar a verdadeira semente de Abraão! Os reis astrólogos viram a estrela. “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele”; (Pv 22.6). O que é mais importante o tempo ou o lugar? “E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo”; (Mt 2.4). “Então, Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera”; (Mt 2.7). O tempo é o mais importante. Tome uma posição. Chegando no lugar, ao local, Deus vai te dar um sinal, uma estrela. Você entenderá o agir de Deus. Ele te revelará!  A estrela parará encima da benção! A falsa adoração“E, enviando-os a Belém, disse: Ide, e perguntai diligentemente pelo menino, e, quando o achardes, participai-mo, para que também eu vá e o adore”; (Mt 2.8). O falso adorador, quer matar, aniquilar, destruir! Ele não adora a Deus em Espírito, em verdade! Não é um verdadeiro adorador! O verdadeiro adorador, o encontra, o reconhece, se prosta, o adora, lhe da presente! “E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a estrela que tinham visto no Oriente, ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino. E, vendo eles a estrela, alegraram-se muito com grande júbilo. E, entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram dádivas: ouro, incenso e mirra”; (Mt 2.9-11). Através de uma cronologia de eventos relatados pelos Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João. Temos comprovações que Jesus não nasceu próximo à data comemorativa em Dezembro (e sim no início do outono). Por que é então comemorado nesta data o seu nascimento? Esta data foi escolhida pelos líderes da Igreja para que coincidisse com a festa pagã dos romanos que comemorava o solstício do inverno. Essa data foi mantida para que o cristianismo fizesse mais sentido para os pagãos convertidos. E se tornou mundial ao passar dos anos por questões comerciais. 

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.