Porque iríeis comigo?

15 de setembro de 2013

Porque iríeis comigo?


  “Porém Noemi disse: Tornai, minhas filhas, por que iríeis comigo? Tenho eu ainda o meu ventre mais filhos, para que vos fossem por maridos?”; (Rt 1.11).

    Momentos de dificuldades: “E sucedeu que, nos dias em que os juízes julgavam, Houve uma fome na terra; pelo que um homem de Belém de Judá saiu a peregrinar nos campos de Moabe, ele, e sua mulher, e seus dois filhos”; (Rt 1.1). O livro de Juízes descreve a história do ponto de vista do fracasso. Há um ciclo que ocorre várias vezes: O povo caia na idolatria, Deus permitia a opressão do inimigo,  porque lhe foi dado legalidade. O povo então clamava a Deus, Ele ouvia, tinha misericórdia e estabelecia  um Juíz dentre o povo. O livro de Rute corresponde à época dos juízes, e nesta época, não havia rei em Israel, o povo fazia o que bem entendia e agia da maneira que eles achavam ser correta. É como ocorre com alguns que fazem o que bem entendem e querem e esquecem de Deus. Mediante as lutas, conseqüência correm de volta para a Igreja, para os pés de Jesus. Temos que estar firmes mediante as diculdades e tribulações que aparecem. Belém é uma junção de duas palavras: Beit (casa) Lehem (pão) (hb); Significa “Casa do pão”, a casa do pão não tinha pão. Deus as vezes permite faltar algo! Decidiram sair de Belém  porque ali não havia mais o pão (alimento, sustento, vida). Elimeleque tomou uma decisão: Sair de Belém! Será que foi uma boa decisão? 

     Parece uma contradição, um paradoxo! Os campos de Moabe eram malditos, perteciam aos descendentes de Ló! Moabe nasceu do incesto de Ló com a sua filha primogênita.  E teve a primogênita um filho e chamou o seu nome Moabe; este é o pai dos moabitas até ao dia de hoje”; (Gn 19.37). Bélem Efrata de Judá é à abençoada, simboliza o reino de Davi, terra de nascimento de Jesus. “E era o nome deste homem Elimeleque (Meu Deus é Rei), e o de sua mulher Noemi (agradável), e os de seus dois filhos, Malom (enfermidade) e Quiliom (fragilidade) frateus, de Belém de Judá; e vieram aos campos de Moabe, e ficaram ali. E morreu Elimeleque, marido de Noemi; e ficou ela com os seus dois filhos, os quais tomaram para si mulheres moabitas; e era o nome de uma Orfa, e o da outra Rute (amiga fiel); e ficaram ali quase dez anos. E morreram também ambos, Malom e Quiliom, ficando assim esta mulher desamparada dos seus dois filhos e de seu marido”; (Rt 1.2-5). A prova que as coisas não estavam muito boas em Belém são os nomes dos filhos de Elimeleque e Noemi. Deixe-me interpretar melhor essa passagem. Havia um homem da casa de pão que sai a peregrinar nos campos dos malditos porque havia fome na terra do pão. Este homem que se chamava “Meu Deus é Rei” pegou sua mulher “Agradável” e seus dois filhos, “Enfermidade” e “fragilidade” e  foram até o lugar da maldição. E chegando lá “Meu Deus é Rei” morreu. E o “enfermidade” e a “fragilidade” morreram também. Esta é a situação: Será que valeu apena sair de Belem? Noemi está enfrentando uma tragédia. Ela sai da sua terra, buscando algo melhor. Na outra terra perde o marido e os seus dois filhos. Não tem mais herança, perdeu o sustento. Havia comida, havia campo, mas por 10 anos não teve frutificação. Noemi esta sem filhos, sem marido. Suas duas noras Orfa e Rute também sem maridos e também sem filhos. Noemi não tinha netos, sementes, estava totalmente sem esperança. Noemi esta só com as suas duas noras. Algo acontece! “Então, se levantou ela com as suas noras, e voltou dos campos de Moabe, porquanto na terra de Moabe, ouviu que o Senhor tinha visitado o seu povo, dando-lhe pão pelo que saiu do lugar onde estivera, e as suas duas noras, com ela. E, indo elas caminhando, para voltarem para a terra de Judá”; (Rt 1.6,7). Noemi não tinha mais razões para permanecer naquela terra e, pelo motivo de estar em Moabe, perdeu o momento da visitação de Deus em sua terra. Deus visitou o Seu povo, Noemi, Elimeleque, Marlom e Quiliom  não estavam lá quando isto aconteceu! Por pior que seja a situação, não saia de Belém, não tome uma decisão precipitada!  Noemi faz uma nova escolha, ela toma uma decisão! “Disse Noemi às suas duas noras: Ide, voltai cada uma à casa de sua mãe; e o Senhor use convosco de benevolência, como vós usastes com os falecidos e comigo.   O Senhor vos dê que acheis descanso cada uma em casa de seu marido. E, beijando-as ela, levantaram a sua voz e choraram”; (Rt 1.8,9).

     Orfa e Rute! Uma só decisão entre duas escolhas diferentes. “E disseram-lhe: Certamente, voltaremos contigo ao teu povo”; (Rt 1.10). Orfa e Rute, choraram juntas com Noemi, e também as duas disseram a mesma coisa. A diferença é que uma falava do seu íntimo, a outra falava da boca para fora, falava através da emoção do momento. Quantas pessoas te dizem: Eu vou contigo! Conte comigo! Mas na hora de agir mudam de opinião! “Porém Noemi disse: Tornai, minhas filhas, por que iríeis comigo? Tenho eu ainda no meu ventre mais filhos, para que vos fossem por maridos? Tornai, filhas minhas, ide-vos embora, que já mui velha sou para ter marido; ainda quando eu dissesse: Tenho esperança, ou ainda que esta noite tivesse marido e ainda tivesse filhos, esperá-los-íeis até que viessem a ser grandes?”; (Rt 1.11-13). Noemi foi taxativa. Vão embora, não tenho mais nada, é impossível! Não tenho mais filhos. Já estou velha, vocês é que vão cuidar de mim, e, se porá acaso eu tiver outro marido e outros filhos, vocês esperarão eles ficarem adultos? “Então, levantaram a sua voz, e tornaram a chorar; e Orfa beijou a sua sogra; porém Rute se apegou a ela”; (Rt 1.14). Tudo que temos e somos é resultado de uma decisão. Tudo na vida depende de uma palavra, de uma decisão! Orfa pensou: Vou ter que cuidar de Noemi, vou ficar aqui em Moabe (maldição) mesmo, Noemi realmente não tem mais nada para me oferecer! Rute decidiu: Eu quero ir até Belém, eu quero cuidar de Noemi! Rute abdicou a sua família, idolatria, cidade. Rute decidiu sair dos campos de Moabe, decidiu deixar de ser maldita! “Por isso disse: Eis que voltou tua cunhada ao seu povo e aos seus deuses; volta tu também após tua cunhada”; (Rt 1.15). Orfa voltou para o seu povo, os seus deuses! Pergunta dificil: Em que você mais pensa? Este é o seu Deus! O que chama a sua atenção, o que te gera razão de viver? Rute não desisitiu de Noemi, ela viu algo mais em sua vida, o seu amor, a sua misericórdia. “Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me afaste de ti; porque, aonde quer que tu fores, irei eu e, onde quer que pousares à noite, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus;” (Rt 1.16).  Rute (amiga fiel) deixou de ser moabita e passou a ser belemita. Uma gentia (estrangeira), amaldiçoada, faz parte da genealogia de Jesus Cristo. Rute foi bisavó de Davi! Ela casou com Boaz, geraram Obede, que gerou a Jessé, que gerou Davi. Noemi saiu de Belém com o seu esposo e seus dois filhos, perdeu tudo. Mas ela tirou um trunfo da sua peregrinação pelos campos de Moabe! De lá ela trouxe Rute.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.