Porque Deus formou o homem do pó?

15 de maio de 2012

Porque Deus formou o homem do pó?


   “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”; (Gn 2.7). 

     Na Etimologia, o que significa o termo, o vocábulo, a palavra homem? O que a Teantropologia tem a dizer acerca do homem? Qual a missão do homem inteligente sobre a terra? Com essas perguntas, introduzimos o tema em questão. O vocábulo homem homine” (ltm); Significa qualquer indivíduo pertencente à espécie animal que apresenta maior grau de complexidade na escala evolutiva. Na Apologética apresentada através da Antropologia, o homem é um animal vertebrado, pertencente à classe dos mamíferos, subclasse dos placentários, ordem dos primatas. Família dos hominídeos, gênero homo, que se encontra representado na atualidade por uma única espécie, o homo sapiens, com vários grupos, raças, sub-raças e tipos ou fácies (aspecto de um corpo; forma e configuração de um grupo) locais. A Ciência Antropológica também define ao homem como o único animal mamífero de posição normal ou vertical. Capacitado com linguagem articulada, constituindo entidade moral e social. No início os cientistas e os filósofos tinham como objetivo a busca do princípio único, as suas especulações voltavam-se para o universo. Posteriormente surgiu Sócrates, que passou a inquirir sobre o próprio homem, no sentido de compreender o seu íntimo e o móvel de suas ações. O conhecer-te a ti mesmo ou a autoconsciência do homem é o seu método de estudo. Depois disso, os cientistas e filósofos nunca mais pararam de questionar sobre o homem e a sua função na sociedade. 

    A Filosofia, doravante tornou-se Antropocêntrica, ou seja, colocou o homem no seu centro de discussão. Pode-se dizer que a Filosofia é uma forma de compreensão da vida e do mundo (pelo ponto de vista humano). Podemos especular sobre o mundo, sobre o ser, sobre a verdade e sobre a justiça; podemos perscrutar (investigar minuciosamente). E até elaborarmos análises sobre os mais variados temas; podemos tentar aprender o que é o bem e o que é mal. Contudo, no fundo de tudo isto está o homem. Devíamos, assim, solicitar, pedir à Filosofia e a Ciência que nos ajudem a compreender o mundo humano, apontando-nos os caminhos que possam nos afastar do mal. Diante desta colocação Filosófica e Cientifica, pergunta-se: O que é o homem? Qual a sua função? Qual é a sua natureza? Qual é o seu destino? Somente através da Teoantropologia pelo paradigma de Deus, obteremos esta resposta! A Ciência e a Filosofia definem o homem como um animal racional. Não se afirma que o homem é racional da mesma maneira que um quadrado tem quatro lados. A racionalidade é característica de seus pensamentos, de seus atos e de todos os seus modos de atuação. Esta racionalidade é que dá força ao livre arbítrio, no sentido dele agir como lhe convier e responder por seus atos. Por essa racionalidade o homem se realiza e, realizando-se, escolhe o sentido de sua vida e de suas ações. Como resolvê-lo? À medida que o homem exercita sua inteligência, ela amplia-se. Do simples chegamos ao complexo; do conhecido ao desconhecido. Porém, surgem também, os desmandos intelectuais, o homem começa a se colocar acima do Criador, enveredando-se pela trilha do orgulho. Nesse mistério, o homem jamais deveria orgulhar-se da sua inteligência. Se Deus, na sua infinita bondade, concedeu-nos a oportunidade de estarmos num meio em que possamos desenvolver a nossa inteligência. É para que a utilizemos em nosso benefício próprio e dos nossos semelhantes. 

A inteligência desenvolvida é um talento com finalidade útil nas mãos das criaturas com a objetividade de que se aproximem, cada vez mais do Seu Criador.  O homem não é um espírito, e nem um corpo, ele é uma alma vivente! Uma alma que tem espírito humano e um corpo humano físico. Espírito, alma e o corpo formam o seu ser completo.O homem acha difícil controlar o que nunca foi capaz de entender. Como funciona e como trabalha e atua a sua própria mente. O homem se põe a meditar no que é o ambiente, bom ou mau, senão uma conseqüência de reflexo do pensamento em que está vivendo. O coração e a mente são os dois centros de vontades atuantes no homem. O coração assim conquistou um lugar de honra na linguagem e na literatura produzida há milhares de anos. No Antigo Testamento, o coração é mencionado nada menos que 850 vezes. O coração é reverenciado como a matriz da vontade, sentimento e emoções do homem. O coração é descrito com frieza pela Medicina, apenas como um músculo oco, do tamanho aproximado de um punho, que pesa entre 280 e 340 gramas no homem, e de 230 a 280 gramas na  mulher. O coração é o principal orgão do corpo humano físico. Ele é tremendamente eficiente, dividido em duas partes que trabalham em sincronia, contraindo-se e relaxando-se a cada batida. Para bombear cerca de cinco litros de sangue oxigenado, cheio de vida, ao organismo. Essa operação se repete umas 80 vezes por minuto. Assim, o coração pulsa 4 800 vezes por hora, 113 mil vezes por dia e 41 milhões de vezes por ano. São contas aproximadas, pois existem variações dependendo do sexo, idade e a situação física da pessoa. O coração é a sede do homem espiritual, mas na verdade a alma com os seus atributos de vontade, intelecto “mente” e sentimento, é o eixo de todo o ser completo do homem. Porque à sua vontade pertence à alma. Só quando a alma se dispõe a assumir uma posição humilde é que o Espírito pode dirigir o homem. Se a alma se rebela contra tal tomada de posição, o Espírito ficará sem poder para governar. 

     A mente é a definição que damos ao estado da consciência ou subconsciência relativo ao conjunto de pensamentos gerados pelo cérebro no homem. Mente é o termo mais comum utilizado para descrever as funções superiores do cérebro. Particularmente aquelas das quais o  homem é consciente, tal como o pensamento, a razão, a memória, a inteligência e a emoção. A mente é uma estrutura bioeletrônica altamente complexa, composta de informações para auto aplicação, com organização sistêmica e sistemática que capacita o homem racional na autonomia para dirigir a sua própria existência no tempo e resolver a si mesmo no espaço. O termo também descreve a ação direta no caráter e na personalidade do homem. A Psicanálise “descobriu” que a solução do enigma do comportamento do homem não reside no estudo que o homem executa, e nem na tentativa de convencê-lo de que é compensador ser bom. Reside apenas no desejo de fazê-lo entender o porquê do seu comportamento. O homem precisa avaliar corretamente a reação dos seus instintos em relação às ações de seus sentidos, a fim de que, possa assim controlar os seus atos.  Somente existe uma maneira disto acontecer. “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”; (1 Ts 5.23). Eu creio que o homem foi criado por Deus. Se você crer que você é uma obra do acaso, Consequente de uma explosão espacial denominada de Big Ben. E que o homem iniciou-se em uma ameba, um protozoário que então foi evoluindo, evoluindo até chegar ao macaco e finalmente chegamos ao homem de hoje. Serei super sincero com você, Se voce crer que você veio do nada, você tem mais fé do que eu!  Por que eu creio que Deus nos colocou no planeta Terra, cada um de nós com um propósito especifico e eterno.  O que é o homem? Um ser criado por Deus para ser habitação da Sua glória. Viva nessa terra cada dia por vez, aproveite as coisas boas. E saiba de algo muito importante. Nós não somos daqui, somos peregrinos nessa terra. A nossa morada é com Ele.

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.