O que é Basileilogia?

1 de setembro de 2018

O que é Basileilogia?


“Respondeu Jesus: O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus, mas agora; o meu Reino não é daqui”; (Jo 18.36). 

      Os vocábulos “Igreja” e “Reino”; Têm os seus significados totalmente diferentes. O vocábulo “Igreja” etmologicamente tem a sua raiz do vocábulo “ekklesia; gr”: significa chamados para fora”. No sentido de sair do sistema mundano que opera. Ou seja, o pecado. O vocábulo “Reino” tem a sua raiz etmologica do vocábulo “basiléia; gr”. Tendo o seu sentido e  significado de: realeza, domínio, império. O vocábulo “ekklesia” significa um grupo de pessoas reunindos, fora do pecado. Que é o desígnio de uma igreja se cumpre quando reunida. A congregação dos que são chamados para fora dos seus pecados, reunidos com o propósito de publicamente obedecer a Palavra com suas posses, seus corações e as suas vidas. O vocábulo “basiléia” significa reino, e   um reino existe, em todo lugar que o poder e a influência de um rei se estenda! Portanto o Reino vai além de um local de pessoas reunidas. Pelos desígnios diferentes entendemos que o Reino não é igreja, e igreja não é Reino. Isto tem que estar bem claro! O Reino é formado por três elementos: A Igreja, as Nações e Israel; as três medidas de farinha! Basiléia (reino) + logia (estudo) = Basileilogia. 

   O Reino “Basileia”, portanto designa um governo ou domínio em que tem Deus por Soberano e Governante, e no contexto teológico é sinônimo de Reino e intrinsecamente relacionado a Deus e a vida eterna. O Reino não está relacionado a um lugar físico, pois este Reino somente existe onde Deus é conhecido, acolhido, amado, seguido e obedecido. Quando Jesus foi interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino, respondeu afirmando que este Reino não viria com aparência exterior. Por isso alguns erradamente subentendem que o “lugar” do Reino é no coração do homem, que o Reino está dentro de nós. Quando o Reino nele se estabelece, há  uma imediata transformação real e tudo passa a ser dirigido pelo Espírito Santo dentro daquele que verdadeiramente nasceu de novo, e esta com o seu espírito humano aperfeiçoado pelo Espírito Santo. Então o que verdadeiramente é o Reino? Ele é espiritual ou ele é físico? Ele esta dentro de nós ou esta fora de nós?  

O REINO AINDA É ESPIRITUAL  

     “Respondeu Jesus: O meu Reino não é deste mundo; se o meu Reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus”; (Jo 18.36a). O Reino é espiritual, a sua origem está no chronos, o tempo físico do homem. As coisas que pertencem a Deus, que concernem a Deus estão em outro nível de existência, outro patamar dimensional. Elas coexistem no kairós desde a eternidade. Sendo espiritual, o Reino, evidentemente não tem fim como o seu próprio Deus. O próprio Deus tem desejo de que este Reino chegue a terra, mas para que isto aconteça deve haver um processo redentor na terra, afim de que a terra suporte esse Reino. Nossa oração deve ser sempre: Venha a nós o teu Reino, ou da mesma forma “Maranata”. Quando oramos, oramos juntos com o Espírito, a Noiva, e a toda a Criação. O Espírito diz: “Agora vem!”. A Noiva diz: “Vem, Senhor Jesus!”. E toda a Criação diz: “Venha o teu Reino!”.

O REINO TAMBÉM SERÁ TERRENO

     “mas agora; o meu Reino não é daqui”; (Jo 18.36b). Isto é, o Reino espiritual se manifestará sobre as coisas terrenas. O eterno tomará o lugar do terreno. O kairós permanecerá, o chronos findará! Isso mesmo o tempo físico terminára e haverá somente um tempo eterno, sem nenhuma fração mínima de contagem. O REINO VEM PELA TRIBO DE JUDÁ: “O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos”; (Gn 49.10). O REINO VEM DA CASA DE DAVI: “Porém a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será firme para sempre”; (2 Sm 7.16). O REINO TERÁ POR REI A JESUS: “E eis que em teu ventre conceberás, e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu Reino não terá fim”; (Lc 1.31-33). 

     Esse Reino começou a ser pregado pelo profeta João Batista, mas não se originou em João Batista. João Batista foi fiho de Zacarias, o sacerdote segundo a ordem de Levi, mas  seu ministério foi confirmado como nazireu. A porta de emergência que Deus abriu caso o sacerdócio de Levi se corrompesse no decorrer dos anos, como realmente aconteceu. João Batista entrou no ministério abdicando o seu direito de ser sacerdote segundo a ordem de Levi de uma forma extraordinária. Pois no estabelecimento do Reino será reconstituído o modelo original de sacerdócio, o sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. Com o trabalho do nazireu João Batista, o Reino começou a ter forma em Jesus, Sua descendência real esteve completa pela maneira em que os reis de Judá esperavam a chegada de seu Legislador. O Reino espiritual se tornará físico somente através de Jesus, por Ele o Reino tomou forma terrena. Então por quem chegou o Reino? Por Jesus! Por isso, quando Ele dizia: “É chegado o Reino dos Céus”, significava que o Reino Espiritual havia-se feito carne, terreno, e estava alí. E João Batista sabia que o Reino estava chegando através de Jesus. Quem quer conhecer melhor sobre o Reino terreno, que antes era somente espiritual e prometido pelos profetas, deve inicialmente entender a Teantropia de Jesus. “E o verbo se fez carne e habitou (tabernaculou) entre nós, e vimos sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e verdade”; (Jo 1.14). 

O NOME DO REINO

      O Reino do Pai? O Reino do Filho? O Reino de Deus? O Reino do Céu? Conforme já ensinado na disciplina de Cristologia. Parece ser tudo um Reino só, pois se trata de um mesmo Reino. Mas não o são, cada Reino tem o seu sentido próprio, a sua importância e principalmente a sua diferença! Por quê? Por que ainda falta uma parte deste Reino! Espiritualmente o Filho já tem! Mas isso também literalmente ocorrerá no mundo físico. Em Sua 2ª vinda o Filho resgatará e recolocará esta parte que foi perdida de volta ao Reino do Céu. “Depois, virá o fim, quando tiver entregado o Reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo império e toda potestade e força”; (1 Co 15.24). O Pai entregará essa parte que foi perdida para o Filho, após Ele a recuperar. Assim o Filho irá sujeitar-se à parte Dele e então será “novamente” um só Reino. “E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então, também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus Seja tudo em todos”; (1 Co 15.28). O QUE É O REINO? O Reino é uma unificação de objetivos da Divindade em relação a toda extensão de seu eterno domínio e propósito. Deus tem domínio pleno sobre todo ser, sobre todas as coisas existentes nesse mundo. Esse domínio se estende além do presente. Ele dominou ontem, domina hoje e dominará amanhã e para todo o sempre. “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso”; (Ap 1.8). O Reino está progressivamente tomando sua forma designada a cada momento, em cada instante de tempo, até que chegue ao seu formato final na 2ª vinda de Jesus Cristo. Essa unificação inclui toda A GLÓRIA CELESTE: (1) A Nova Jerusalém Celestial; (2) Os Anjos; (3) As Regiões Celestiais e (4) Os Céus. E TAMBÉM A GLÓRIA TERRENA: (1) A Igreja; (2) Israel; (3) As Nações e (4) Toda a Criação!

Graça & Paz.

Rev. Dr. Carlos Andrade, Th.D.