LOGOS & RHEMA

15 de maio de 2017

Como é a aparência de Deus?


     “E logo fui arrebatado em espírito, e eis que um trono estava posto no céu, e um assentado sobre o trono. E o que estava assentado era, na aparência, semelhante à pedra jaspe e de sardônica; e o arco celeste estava ao redor do trono, e era semelhante à esmeralda”; (Ap 4.2,3). “E, por cima do firmamento, que estava por cima da sua cabeça, havia uma semelhança de trono como de uma safira; e, sobre a semelhança do trono, havia como que a semelhança de um homem, no alto, sobre ele. E vi como a cor de âmbar, como o aspecto do fogo pelo interior dele, desde a semelhança dos seus lombos e daí para cima; e, desde a semelhança  dos seus lombos e daí para baixo, vi como a semelhança de fogo, e um resplendor ao redor dele”; (Ez 1.26,27). 

   Conforme, de acordo com os textos bíblicos citados acima, você pode observar claramente que Deus não tinha uma forma definida e nem uma aparência definida. Deus era uma aparência sem definição. Tanto o profeta Ezequiel como o evangelista João sabiam que se tratava da Pessoa do Pai ser a semelhança do homem que estava assentado sobre o Trono quando inspirados pelo Espírito Santo, eles descreveram a visão do Pai. Mas observe que eles não descreveram a aparência de Deus de uma forma concreta, de uma forma absoluta. “E o que estava assentado era, na aparência, semelhante...”; “havia como que a semelhança de um homem, no alto, sobre ele...”. Na realidade Deus não tinha um corpo para expressar a Sua essência. Deus era invisível (no sentido de nunca ter sido visto e  revelado nitidamente) antes da encarnação de Jesus. 

15 de abril de 2017

És tu só peregrino em Jerusalém?


  
     "E eis que, no mesmo dia, iam dois deles para uma aldeia que distava de Jerusalém sessenta estádios (11 quilômetros), cujo nome era Emaús (riacho de águas quentes). E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles. Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem. E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes? E, respondendo um, cujo nome era Cléopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias? E ele lhes perguntou: Quais? (a causa perguntando pelo efeito), E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; e como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte e o crucificaram”; (Lc 24.13-20).

    No mesmo dia, ou seja, no dia de Sua ressurreição. Jesus não era mais o filho do homem, um homem comum. Era o Cristo ressurreto em um corpo imortal (ainda não era o corpo de glória). Era o Verbo cumprido, vivido, experimentado e aprovado. O assunto dos dois era Cristo! Onde estiverem dois ou três reunidos em Seu Nome atraem a Pessoa de Jesus. Jesus aproximou-se dos dois e começou a conversar com eles!